inclusão de arquivo javascript

Esportes

 
 

Cielo nada 1ª competição no exterior após Olimpíada

02 de março de 2009 16h59 atualizado às 17h05

Cielo treina para competição após faturar ouro em Pequim. Foto: Satiro Sodré/CBDA/Divulgação

Cielo treina para competição após faturar ouro em Pequim
Foto: Satiro Sodré/CBDA/Divulgação

César Cielo disputará sua primeira competição no exterior após a Olimpíada de Pequim e a medalha de ouro nos 50 metros livre. Cielo nadará o Grand Prix de Austin, no Texas, de quinta-feira a sábado, a quarta competição do Swimming Grand Prix Series, torneio que será em jardas e em metros. As provas preliminares, pela manhã, serão em piscina de jardas e as finais em piscina longa (50 m).

Cielo, 22 anos, vai nadar os 50 m, 100 m e 200 m, no estilo livre, e o revezamento 4x50 m livre, em equipe com Alexei Puninski, da Croácia, George Bovell, de Trinidad e Tobago, e Fred Bousquet, da França.

"Vamos nadar o revezamento para tentar bater o recorde mundial em jardas (a marca atual é de 1min14s71, da equipe da Universidade de Auburn, no NCAA). Como somos de países diferentes vai valer como recorde do US Open se realmente conseguirmos alcançar a marca", disse Cielo. "No mais, não estou esperando nada especial nessa competição. É só para pegar ritmo, voltar a competir mesmo. Nadar esses 200 m vai doer muito....mas enfim."

Cielo deixará a cidade de Auburn, no Alabama, onde está morando e treinando nesta quarta-feira. "Na quinta nado os 50 em jardas pela manhã e o 4x50 m em jardas e os 50 m livre, à tarde. Ainda não tenho expectativa nenhuma para os 50 m livre. Estou pesadão", afirmou Cielo que sexta-feira, pela manhã, nadará os 200 jardas e, no sábado, os 100 jardas e os 100 m livre, nas duas provas do programa.

"Vou nadar de manhã de sunga mesmo. Só vou usar o macacão da Arena, meu fornecedor de maiôs, à tarde. Será o mesmo de Fortaleza", lembrou, referindo-se ao protótipo que vem desenvolvendo em conjunto com a empresa italiana.

Testes de maiôs

Cesar Cielo testou três novos protótipos de maiôs da Arena na última semana em Auburn. "Vou ficar com aquele protótipo que eu já vinha desenvolvendo com eles desde o ano passado. Optei por um modelo que eles batizaram de Evolution Plus. Eles devem estar me mandando a versão final, com base nos testes feitos, em três semanas", afirmou.

O brasileiro que vem testando os maiôs da Arena - o francês Alain Bernard também integrou o programa de desenvolvimento dos maiôs - garantiu que com as regras da Federação Internacional de Natação (Fina) nada vai mudar. "Quando chegarmos ao um protótipo adequado eles farão a padronização numérica."

Redação Terra