inclusão de arquivo javascript

Esportes

 
 

Com virada espetacular sobre Estudiantes, Barcelona é campeão

19 de dezembro de 2009 16h32 atualizado às 19h24

Jogadores do Barcelona comemoram primeiro Mundial. Foto: AP

Jogadores do Barcelona comemoram primeiro Mundial
Foto: AP

O Barcelona esteve perto de perder o título pela terceira vez em três ocasiões, mas conseguiu a virada sobre os argentinos do Estudiantes, venceu por 2 a 1 e conquistou o Mundial de Clubes da Fifa, neste sábado, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

» Veja as fotos da decisão
» Fotos da entrega da taça
» Fotos da festa na Espanha
» Fotos das festas das torcidas
» Fotos da decisão de 3º lugar
» Assista ao vídeo: torcida vibra com ano perfeito do Barcelona
» Messi faz gol do título mundial e conquista a Bola de Ouro
» Denílson marca e Pohang garante terceiro lugar
» Comente o título do Barcelona

Boselli chegou a dar vantagem aos argentinos, que arrastavam a vitória até os instantes finais. Aos 43min, Pedro Rodríguez salvou o Barcelona, que atuou melhor em boa parte do jogo e conseguiu a virada na prorrogação.

Foi o sexto título do Barcelona em seis competições disputadas em 2009: Mundial de Clubes, Campeonato Espanhol, Copa do Rei, Liga dos Campeões, Supercopa da Espanha e Supercopa da Europa.

O Barcelona, que comemorou muito o título, havia perdido em duas finais de Mundial de Clubes: a primeira, em 1992, por 2 a 1 contra o São Paulo. E a segunda, em 2006, contra o Internacional.

Já o Estudiantes, que havia sido campeão duas vezes, em 1968 contra o Milan e em 1969 contra o Manchester United, somou também seu segundo vice. Em 1970, havia perdido diante do Feyenoord.

O primeiro tempo em Abu Dhabi foi de poucas emoções, com as duas melhores chances de gol para o Estudiantes, que esfriou o jogo em boa parte do tempo. Verón arriscou de fora, mas o gol argentino saiu aos 36min: Díaz cruzou da esquerda, Boselli subiu entre Puyol e Abidal, escorando com a cabeça, sem chances para Valdés.

O gol de Boselli causou reclamações dos catalães, já que o atacante argentino estava aparentemente alguns poucos centímetros à frente. O Barcelona ainda reclamou um pênalti em Xavi, que invadiu a área e dividiu com o goleiro Albil.

Mais ofensivo após o intervalo, quando Guardiola trocou Keita por Pedro Rodríguez, o Barcelona se lançou ao ataque e teve 45 minutos de ataque contra defesa. Com muita marcação, os argentinos permitiram poucas chances de gol. Na melhor delas, Pedro Rodríguez esteve perto da rede, mas não alcançou cruzamento vindo da esquerda.

Quando tudo parecia perdido, Pedro Rodríguez salvou o Barcelona da derrota. Aos 43min, Piqué ganhou dividida pelo alto e Pedrito escorou de cabeça por cima de Albil, salvando os espanhóis e mandando o jogo para a prorrogação.

Encontrando mais espaços e melhor fisicamente, o Barcelona dominou o Estudiantes e teve seus melhores momentos na prorrogação. Na primeira parte, Messi teve duas boas chances de marcar e Ibrahimovic recebeu livre de Daniel Alves, mas não alcançou.

Na segunda parte da prorrogação, apareceu a estrela de Lionel Messi, que deve ser eleito o melhor do mundo pela Fifa na próxima segunda-feira. Aos 4min, da meia direita, Daniel Alves lançou e o argentino escorou com o peito para as redes, assegurando o título mundial para o Barcelona.

No último lance, por muito pouco Desábato não mandou a decisão para os pênaltis. Verón cruzou para a área e o zagueiro desviou de cabeça - Valdés só torceu e a bola passou ao lado da trave.

Ficha técnica:

Estudiantes 1 x 2 Barcelona

Gols
Estudiantes: Boselli, aos 36min do 1º tempo
Barcelona: Pedro Rodríguez, aos 43min do 2º tempo, e Messi aos 4min do 2º tempo da prorrogação

Polêmica
Xavi foi derrubado pelo goleiro Albil, mas arbitragem não deu nada

Ponto Forte do Estudiantes
Marcação firme

Ponto Forte do Barcelona
Posse de bola

Ponto Fraco do Estudiantes
Poucos ataques após o intervalo

Ponto Fraco do Barcelona
Poucas finalizações

Personagem do jogo
Pedro Rodríguez, que salvou o Barcelona da derrota

Esquema Tático Estudiantes
3-4-2-1
Albil; Cellay, Desábato e Ré (Rojo); Clemente Rodríguez, Braña, Pérez (Nuñez) e Díaz; Verón e Benítez (Sánchez); Boselli
Técnico: Alejandro Sabella

Esquema Tático Barcelona
4-3-3
Valdés; Daniel Alves, Puyol, Piqué e Abidal; Busquets (Yaya Touré); Xavi e Keita (Pedro); Messi, Ibrahimovic e Henry (Jeffren)
Técnico: Josep Guardiola

Cartões Amarelos
Estudiantes: Díaz, Pérez, Rodríguez, Desábato, Sánchez e Rojo
Barcelona: Messi e Henry

Árbitro
Benito Archundia (MEX)

Local
Zayed Sports City, em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos)

Redação Terra