Internacional

Internacional

publicidade
09 de julho de 2012 • 20h10 • atualizado em 10 de Julho de 2012 às 09h51

Agente vê Oscar perto do Chelsea; jornal diz que negócio foi fechado

Internacional ainda não confirmou a venda de Oscar ao Chelsea
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
 
Cristiano Silva
Direto de Porto Alegre

A direção do Internacional está muito próxima de anunciar a venda do meio-campista Oscar para o futebol inglês. Chelsea e Tottenham fizeram propostas pelo meio-campista, que está servindo a Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Londres. Segundo um dos agentes do jogador, as propostas são muito semelhantes, mas os atuais campeões europeus levam vantagem.

» Confira o vai e vem dos clubes no Mercado da Bola
» Veja o guia e saiba tudo sobre os times do Brasileiro 2012

"O Chesea fez uma proposta de 25 milhões de euros (cerca de R$ 62,5 milhões). Está faltando um acordo entre os clubes e isto deverá ocorrer nos próximos dias. No próximo dia 25 o Giuliano Bertolucci (agente direto de Oscar) deverá viajar à Inglaterra definir os últimos detalhes. O Tottenham também fez uma proposta semelhante, mas acredito que o Oscar deva aceitar a proposta do Chelsea por ter uma maior projeção", destacou Carlos Meinberg Neto, um dos agentes de Oscar e parceiro de Giuliano Bertolucci.

Por uma questão estratégica, o Inter ainda não está admitindo a negociação publicamente, mas na última sexta o presidente Giovanni Luigi se reuniu em São Paulo com o empresário do meia e mais um representante do Chelsea para iniciar a negociação.

Nesta reunião foi perguntado quanto o Inter quer receber para vender Oscar e o mandatário da equipe colorada respondeu que deseja 25 milhões de euros, valor que foi aceito pelo Chelsea.

Na chegada à concentração brasileira, no Rio de Janeiro, Oscar desconversou sobre a possibilidade de jogar fora do Brasil e disse rapidamente, antes de subir para o seu quarto, que pretendia ficar no Inter.

Ingleses confirmam acerto com Chelsea
Segundo informação do jornal inglês Daily Mail, Oscar, 20 anos, custará aos cofres do Chelsea 25 milhões de libras (cerca de R$ 78 milhões), 12 milhões a mais do que o afirmado por Meinberg Neto.

Descrito como "garoto maravilha" pelo diário, Oscar faz parte da renovação que o Chelsea quer no elenco. Mesmo com a conquista da Liga dos Campeões e da Copa da Inglaterra na última temporada, o clube perdeu os atacantes marfinenses Salomon Kalou e Didier Drogba. Nomes lendários da equipe ainda fazem parte do time titular, como o zagueiro John Terry - 31 anos - e Frank Lampard - 34 anos.

Para repor as saídas dos ídolos, o russo Roman Abramovich ignorou a crise europeia e contratou os meias-atacantes Eden Hazard e Marko Marin. Os londrinos pagaram cerca de R$ 110 milhões ao Lille e venceram a disputa pelo belga, provável rival de Oscar pela vaga de titular, e R$ 27 milhões ao Werder Bremen por Marin.

Oscar será o quarto brasileiro do elenco comandado pelo técnico Roberto Di Matteo. O zagueiro David Luiz, o volante Ramires e o meia Lucas Piazon serão companheiros de Oscar no Stamford Bridge. Campeão europeu, o Chelsea pode cruzar com o Corinthians se os dois times avançaram à final do Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão.

Depois de sair em litígio do São Paulo, Oscar acertou com o Internacional em 2010. No Beira-Rio, conquistou dois títulos gaúchos (2011 e 2012) e uma Recopa Sul-Americana (2011). Neste ano, ganhou espaço na Seleção Brasileira principal e se apresenta ao técnico Mano Menezes como esperança, ao lado de Neymar, para a inédita medalha de ouro do País no futebol.

Depois de muitas disputas judiciais, o São Paulo recuperou os direitos de Oscar. Para ficar com o jogador, o clube colorado comprou 50% dos direitos econômicos do atleta em maio por R$ 15 milhões. Assim, o Inter deve lucrar entre R$ 15 e 24 milhões em menos de dois meses com o jogador da Seleção.

Ainda sem confirmar a negociação, o Inter procura substituto. Companheiro de Oscar nos Jogos Olímpicos de Londres, Paulo Henrique Ganso negocia com a equipe gaúcha. O jogador não aceitou proposta de renovação do Santos e tem 55% dos direitos econômicos pertencentes ao Grupo Dis, parceiro colorado.

Com informações de Fábio de Mello Castanho.

Cristiano Leonardo S. da Silva Jornalismo - Especial para o Terra