0

Brasileira da ONU aponta problemas de eventos esportivos

4 mar 2010
17h43

A urbanista brasileira Raquel Rolnik, relatora especial da ONU para o Direito à Moradia Adequada, disse que eventos esportivos do porte dos Jogos Olímpicos e da Copa do Mundo têm efeitos "alarmantes" nas populações e cidades.

Entre as ações apontadas por Rolnik estão o aumento abusivo dos preços de aluguel e venda, a redução de disponibilidade de imóveis baratos e as expulsões forçadas de pessoas.

A especialista, que apresentará seu relatório ao Conselho de Direitos Humanos da ONU nesta sexta-feira, se mostra "especialmente preocupada" com estes aspectos e outros, tais como a criminalização das pessoas sem lar e a prostituição.

Rolnik também recomendará aos Governos, ao Comitê Olímpico Internacional (COI) e à Fifa que levem em conta o direito à moradia digna e o impacto nas cidades na hora de escolher uma sede.

Segundo a relatora, 200 famílias foram expulsas de casa para obras de ampliação de estradas em Barcelona, sede dos Jogos de 1992, enquanto 15% da população perdeu sua moradia de forma forçada e 48 mil edifícios foram demolidos como preparativo à edição de 1988, em Seul.

Na África do Sul, sede da próxima Copa do Mundo, ela diz que 20 mil residentes de um assentamento informal foram despejados.

Outro efeito indesejável é a diminuição da disponibilidade de imóveis mais em conta. Na cidade canadense de Vancouver, palco dos últimos Jogos de Inverno, mais de 1.400 casas se viram afetadas pela especulação imobiliária gerada por conta do evento.

"A situação das pessoas sem lar também piora no contexto dos grandes eventos. Pouco antes de seu início, as autoridades locais adotam medidas para tirá-los das áreas expostas aos visitantes", acrescenta o relatório da brasileira.

Mas estes eventos também deixam um legado positivo algumas vezes. Rolnik conta que a Vila Olímpica dos Jogos de Moscou, em 1980, virou um condomínio com 18 prédios de apartamentos de 16 andares cada.

Raquel Rolnik acha que as autoridades governamentais e esportivas devem ter uma atitude responsável para encarar o impacto deste tipo de competição.

À Fifa e ao COI, ela recomenda que "avaliem as candidaturas pensando no cumprimento dos padrões internacionais sobre o direito a uma moradia digna, e escolher apenas aquelas que tiverem esta condição".

Ambos também devem pedir às cidades que informem das medidas que adotaram para evitar um impacto negativo no direito à moradia, para que evitem as expulsões e a discriminação, ou ataques a comunidades.

Problemas em eventos como Olimpíada de Vancouver, que sofreu com o trânsito, são referências na ONU
Problemas em eventos como Olimpíada de Vancouver, que sofreu com o trânsito, são referências na ONU
Foto: Mariana Lanza / Terra
Fonte: Lancepress!

compartilhe

publicidade