0

Canadá se vinga, cumpre "obrigação" e conquista ouro no hóquei

28 fev 2010
19h55
atualizado às 22h51

Sob forte pressão da torcida, o Canadá enfrentou os Estados Unidos na final masculina do hóquei e cumpriu sua "obrigação". O time venceu os americanos, após empate por 2 a 2 no tempo normal, com o gol de ouro na prorrogação, conquistando assim a 14ª medalha dourada dos anfitriões dos Jogos Olímpicos de Vancouver.

Antes do início da partida, a torcida canadense fazia um "mar vermelho" no Canada Hockey Place. Maioria absoluta, os torcedores gritavam, pulavam e demonstravam das formas mais inusitadas a paixão pelo esporte, na esperança de ver o país fundador do hóquei (o Canadá inventou o esporte) ganhar um ouro pela primeira vez em casa (o país teve chance de ganhar o primeiro ouro em casa na Olimpíada de 88, em Calgary, onde a União Soviética tornou-se bicampeã).

Apesar de toda pressão por parte da torcida canadense, já que o time havia perdido para os Estados Unidos na fase classificatória por 5 a 3, os americanos não viviam situação diferente por terem perdido a final do hóquei justamente para o Canadá, quando os Jogos foram disputados em Salt Lake City 2002.

Para se ter noção da importância do jogo, várias medalhistas dos Jogos de Vancouver estiveram acompanhando a partida. Pelo lado canadense, o capitão da seleção de curling Kevin Martin e o canadense medalha de ouro no skeleton Jon Montgomery. Do lado americano, estiveram presentes a equipe de bobsled e Johnny Spillane, três vezes prata no combinado nórdico.

O primeiro período de jogo, como não podia deixar de ser, começou tenso para ambos os lados. Os jogadores dos dois times estavam muito concentrados no objetivo final. Os goleiros tiveram muito trabalho e fizeram bonitas defesas, pois as duas equipes atacaram bastante. Foram dez chutes do Canadá e oito dos Estados Unidos, mostrando o equilíbrio da partida. Aos 12min50, a defesa americana deu bobeira e perdeu a bola para o ataque canadense. Na primeira tentativa, Ryan Miller, "a muralha americana", defendeu o chute de Mike Richads, mas Jonathan Toews aproveitou o rebote e marcou o primeiro gol da equipe do Canadá.

No início do segundo tempo, o Canadá fez muita pressão em cima da equipe americana, dando muito trabalho ao goleiro Ryan Miller. Logo depois, o Canadá tomou sufoco e conseguiu o rebote. No contra-ataque mortal, o americano Ryan Whitney tentou tirar o puck (disco) e acabou dando de graça para Corey Perry aumentar a vantagem canadense. Depois do segundo gol do Canadá, a equipe dos Estados Unidos começou sua reação ao quase marcar, em defesa incrível do goleiro Roberto Luongo. Mas aos 12min44, em chute do meio do rinque, Ryan Kesler desviou e marcou o primeiro gol dos Estados Unidos.

No terceiro período, pressão total do Canadá, que mandou o puck na trave logo no início. Aos 10min, o Canadá chegou com muito perigo no gol americano e Ryan Miller faz duas defesas seguidas. Faltando 3min, Sydney Crosby perdeu uma chance incrível de matar o jogo. Com apenas 24 segundos no cronômetro, Zach Parise empatou para os americanos e levou o jogo para a prorrogação.

Na prorrogação, mais tensão. Com o sistema de golden goal (gol de ouro, quem marcar primeiro, vence), os dois times atacaram muito. Mas a estrela de Sydney Crosby brilhou e ele marcou o gol do título aos 7min40, repetindo o feito da equipe feminina de hóquei, que também venceu os Estados Unidos na final.

Esqui Cross-Country (M) - 50km Final
Fonte: Terra
publicidade