0

Favoritos, azarões, lesionados; veja alguns destaques dos Jogos

1 mar 2010
01h45
atualizado às 06h42

Como em todas as boas competições, os Jogos de Inverno de Vancouver foram marcados por atletas de elite que conseguiram confirmar seu favoritismo, ignorar a fama de azarões ou até competir com lesões em busca de um cobiçado lugar no pódio. Confira alguns dos destaques:

Bode Miller (esqui alpino)
Famoso por ter se envolvido em bebedeiras durante os Jogos de Inverno de 2006 em Turim, o esquiador americano Bode Miller superou a síndrome do "quase" em Vancouver e conquistou sua primeira medalha de ouro. Depois de chegar perto do lugar mais alto do pódio em Salt Lake City, em 2002, e em Turim, o atleta cravou o tempo de 2min44s92 no supercombinado (modalidade que envolve downhill e slalom) e fez as pazes com a torcida americana.

Evan Lysacek (patinação artística)
Uma das maiores surpresas dos Jogos de Inverno, Evan Lysacek roubou os holofotes do russo Evgeni Plushenko, campeão olímpico de 2006, ao conquistar o ouro. Além disso, em entrevista coletiva, o patinador fez questão de dizer aos jornalistas que se inspirava muito no seu adversário, que ficou com a prata em Vancouver.

Kevin Martin (curling)
Apelidado carinhosamente pelos canadenses de "The Bear" (o urso, em inglês), Kevin Martin, capitão da seleção de curling, conduziu com maestria a equipe ao ouro sem sofrer nenhuma derrota. Sempre centrado na pista de gelo e dando instruções certeiras para o time, Martin fez suas belas jogadas dando um passeio em Estados Unidos, Dinamarca, China, França, Alemanha, Grã-Bretana, Suécia, Suíça até superar a Noruega, na final por 6 a 3.

Shaun White (snowboard halfpipe)
Favorito no snowboard halfpipe, Shaun White não fez feio. Conhecido como "The Flying Tomato" (O Tomate Voador, em inglês, por conta de seus cabelos avermelhados) e também como "Animal", da famosa banda dos Muppets nos desenhos animados, o americano não deu chance aos adversários nos Jogos Olímpicos de Inverno de Vancouver 2010. Com mais esse ouro na carreira, White agora é bicampeão olímpico de snowboard. Antes de subir ao lugar mais alto do pódio na cidade canadense, o americano foi o primeiro nos Jogos de Turim 2006, quando tinha apenas 19 anos.

Jung-Su Lee (patinação de velocidade, traçado curto)
A Coreia do Sul viu Jung-Su Lee comprovar o domínio nas provas eliminatórias dos 1.500 m em pista curta e vencer a disputa. O coreano, 20 anos, começou a esquiar aos 12 em uma pista de gelo em frente à escola onde sua mãe era professora. Sua filosofia no esporte é: "a meta é a perfeição, e eu não vou compactuar com qualquer outra coisa". Ele foi o primeiro no ranking mundial dos 1.500 m em pista curta na temporada 2009/2010 e também nos 1.000 m.

Lindsey Vonn (esqui alpino)
Favorita ao ouro na prova do downhill feminino, a americana Lindsey Vonn, mesmo lesionada, não decepcionou a grande torcida que compareceu ao Whistler Creekside e levou a tão sonhada medalha dourada dos Estados Unidos nos Jogos de Inverno de Vancouver. Com o tempo de 1min44s19, ela foi mais rápida que as outras competidoras e chorou ao conquistar o lugar mais alto do pódio. Em segundo lugar, ficou a também americana Julia Mancuso, que marcou o tempo de 1min44s75. A medalha de bronze foi para a Áustria. Elisabeth Goergl terminou a prova com o tempo de 1min45s65.

Maria Riesch (esqui alpino)
Depois de ver a favorita Linsey Vonn cair, a alemã Maria Riesch não perdeu tempo e conquistou o ouro no supercombinado. Somando os tempos do downhill e slalom, Vonn ficou com a pior e Riesch confirmou seu favoritismo com o tempo de 2min09s14.

Meng Wang (patinação de velocidade)
A patinadora chinesa Meng Wang provou seu favoritismo e se sagrou bicampeã dos 500 m da patinação de velocidade em pista curta. Apelidada de "flecha chinesa", ela já havia quebrado o recorde olímpico duas vezes seguidas em Vancouver - nas quartas e nas semifinais.

Torah Bright (snowboard halfpipe)
Torah Bright, 24 anos, chegou a Vancouver à sombra das atletas dos EUA. Mas, quando a disputa na Cypress Mountain começou, ela logo se destacou. Tanto pelas manobras quanto pela simpatia. Com uma apresentação segura, passou direto para a final com a melhor nota entre as 30 competidoras. Na decisão, ela caiu na primeira manobra. Mas administrou o nervosismo, acertou tudo na segunda descida e, com 45 pontos, faturou a medalha de ouro. Ela deixou para trás as americanas ex-campeãs olímpicas Hannah Tetter e Kelly Clark, que tiveram que se contentar com os lugares menos privilegiados do pódio.

Tessa Virtue e Scott Moir (patinação artística)
Depois de um desempenho abaixo do esperado na primeira etapa da dança no gelo, a obrigatória, a dupla canadense formada por Tessa Virtue e Scott Moir conseguiu superar os russos Maxim Shabalin e Oksana Domnina e cravou a melhor pontuação total, no Pacific Coliseum, no Canadá. Somando 221.57 pontos, sendo 110.42 deles nesta última etapa, a livre, a dupla ficou com o ouro na competição para o delírio da torcida local.





Medalhas
Medalhas
Foto:
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade