0

"Lenda" norueguesa e erros de arbitragem marcam biatlo

1 mar 2010
02h28
atualizado às 06h40

Ole Einar Bjoerndalen mostrou em Vancouver que tem motivos para ser considerado o melhor biatleta da história. Já aos 36 anos e naquela que pode ter sido a sua última participação em Olimpíada, o norueguês disputou cinco provas e faturou duas medalhas (uma de ouro e uma de prata).

Com isso, Bjoerndalen ostenta no currículo o incrível número de 11 medalhas na carreira após quatro Jogos (são seis douradas, quatro prateadas e uma de bronze). Faltou subir mais uma vez no pódio para igualar o compatriota Björn Daehlie, que ganhou 12 medalhas no esqui de fundo entre 1992 e 1998 e é o maior recordista de medalhas da história da Olimpíada de Inverno.

A Olimpíada começou mal para a "lenda" norueguesa. No dia 14, ele amargou um decepcionante 17º lugar na prova de velocidade masculina, vencida pelo francês Vincent Jay. Emil Hegle Svendsen, da Noruega, ficou com a prata, seguido pelo croata Jakov Fak.

Dois dias depois, Bjoerndalen melhorou seu rendimento, mas o sétimo lugar do atleta nos 12,5 km de perseguição ficou em segundo plano. Uma série de erros de cronometragem durante a prova foi levantada por vários participantes, que inclusive colocaram em dúvida a integridade do evento.

Dois erros foram cometidos logo no portão de largada, incluindo um que eliminou as chances de medalha do anfitrião Jean-Phillippe Le Guellec (o atleta deveria ser o sexto a sair por conta de seu resultado na classificatória, mas foi o quarto). O americano Jeremy Teela também teve a ordem alterada de forma equivocada.

No mesmo dia, na prova feminina, a sueca Anna Carin Olofsson-Zidek largou 14s depois do que deveria e terminou a corrida em quinto lugar. Com a correção de 14s no seu tempo final, ela conseguiu subir para a quarta colocação. Com tanta polêmica, o delegado-técnico da União Internacional de Biatlo (IBU), Norbert Baier, admitiu erros nas duas provas e classificou aquela terça-feira como "o pior dia da história do biatlo". Porém, erros tão graves não seriam mais registrados na Olimpíada a partir dali.

Com a arbitragem em segundo plano, foi a vez de os holofotes do esporte voltarem a Bjoerndalen. No dia 18, ele foi prata na prova individual masculino de 20 km, sendo superado apenas pelo compatriota Emil Hegle Svendsen.

Três dias depois, o "colecionador de medalhas" teve problemas e foi apenas 27º na saída em massa masculina de 15 km. Mas a consagração do atleta viria no dia 26. Ele comandou a equipe norueguesa na prova de revezamento, com uma arrancada no final, e levou o ouro, apagando o péssimo desempenho de Turim-2006, quando o time ficou só em quinto na prova.

Além de Bjoerndalen, outro destaque no biatlo masculino de Vancouver foi o sueco Bjorn Ferry, 31 anos, que faturou seu primeiro ouro ao vencer a prova de perseguição. O atleta aproveitou o título para aumentar sua fama de "caçador do doping". "Se fosse como eu queria, seria aplicada a pena de morte nos casos de doping. Ou pelo menos dava-se um monte de pontapés nos testículos dos envolvidos", declarou.

Já no biatlo feminino de Vancouver, a Alemanha teve o domínio muito graças a Magdalena Neuner, que deixou o solo canadense com dois ouros (saída em massa e perseguição) e uma prata. Tamanho prestígio que o Bayern de Munique ofereceu para a atleta um emprego para atuar na área de marketing do clube após o fim dos Jogos.

Confira os medalhistas do biatlo

20km individual

Masculino

Emil Hegle Svendsen - Noruega - ouro
Ole Einar Bjoerndalen - Noruega - prata
Darya Domracheva - Bielorússia - prata

15km individual

Feminino

Tora Berger - Noruega - ouro
Elena Khrustaleva - Cazaquistão - prata
Darya Domracheva - Bielorússia - bronze

15km em largada coletiva

Feminino

Evgeny Ustyugov - Rússia - ouro
Evgeny Ustyugov - França - prata
Pavol Hurajt - Croácia - bronze

12,5km em largada coletiva

Feminino

Magdalena Neuner - Alemanha - ouro
Olga Zaitseva - Rússia - prata
Simone Hauswald - Alemanha - bronze

Velocidade individual 10km

Masculino

Vincent Jay - França - ouro
Emil Hegle Svendsen - Noruega - prata
Jakov Fak - Croácia - bronze

Velocidade individual - 7,5 km

Feminino

Anastazia Kuzmina - Eslovênia - ouro
Magdalena Neuner - Alemanha - prata
Marie Dorin - França - bronze

Revezamento 4x7,5km

Masculino

Noruega - ouro
Áustria - prata
Rússia - bronze

Revezamento 4x6

Feminino

Rússia - ouro
França - prata
Alemanha - bronze

Perseguição - 12,5km

Masculino

Bjorn Ferry - Suécia - ouro
Christoph Sumann - Áustria - prata
Vincent Jay - França - bronze

Perseguição - 10km

Feminino

Magdalena Neuner - Alemanha - ouro
Anastazia Kuzmina - Eslovênia - prata
Marie Laure Brunet - França - bronze

Biatlo Perseguição (M) - 12,5 km - Final
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade