PUBLICIDADE

"Leopardo da Neve" vive dia de ídolo nos Jogos de Inverno

28 fev 2010 09h08
Publicidade
Tarian Chaud
Direto de Whistler

Assim que ele cruzou a linha de chegada, os fãs explodiram em comemoração. Gritos, aplausos e muitas bandeiras surgiram nas arquibancadas. A cena poderia ser da conquista de uma medalha, mas na verdade isso aconteceu após a descida do 48º colocado na prova de slalom do esqui alpino nos Jogos Olímpicos de Inverno.

Todos ficaram emocionados com a apresentação de Kwame Nkrumah-Acheampong. Apelidado de "Leopardo da Neve" - graças ao uniforme que lembra a pele do animal , o ganês, 35 anos, dividiu com o público a alegria de completar a prova e realizar o sonho olímpico.

"Consegui chegar aqui e competir de forma digna. É um dia histórico para mim e para o meu país. Fico muito agradecido por receber todo esse apoio dos torcedores. É inacreditável o carinho que eles demonstraram", comemora o esquiador.

Primeiro atleta a representar Gana em uma Olimpíada de Inverno, Nkrumah-Acheampong começou a esquiar há apenas seis anos, depois de trabalhar como recepcionista em uma pista de esqui na Inglaterra. De lá para cá, ele se dedicou ao esporte e passou a treinar na Itália.

Sem dinheiro para competir na Olimpíada, o ganês ganhou de um patrocinador a passagem para o Canadá. Mas quando chegou a Whistler - local das competições do esqui alpino - não tinha aonde ficar. Aí contou com a solidariedade de um casal de canadenses, que o acolheu em casa.

"Temos muito que agradecer a eles. Foram incríveis ao nos colocarem dentro do lar deles. Sem isso, realmente ficaria difícil enfrentar o frio", diz Vandee Vanderpuye-Orgle, chefe da delegação de Gana nos Jogos Olímpicos.

No dia da competição, Nkrumah-Acheampong conta que se surpreendeu ao ver bandeiras de seu país nas arquibancadas. "Eu olhei do alto da montanha e vi as bandeiras, mas não tinha ideia de quem estava torcendo por mim além da minha mulher", afirmou ele, que foi abraçado e deu autógrafos a fãs dos mais diversos países na saída da pista.

O "Leopardo da Neve" completou a prova com tempo de 1min09s80, mais de 21 segundos acima da marca estabelecida pelo campeão olímpico Giuliano Razzola. Mas isso não importa. "Pelo menos não terminei em último lugar", celebra o ganês, que ficou à frente de 54 competidores.

Entenda a prova de slalom do esqui alpino

O slalom tem o percurso mais curto e as voltas mais rápidas do esqui alpino. Assim como no slalom gigante, os competidores descem a montanha duas vezes, em direções diferentes, mas com a mesma inclinação. Os tempos são somados e o atleta mais rápido fica com o ouro.

O número de portas (espécies de obstáculos feitos com hastes e bandeira) costuma ser de 60 a 65 para homens e 50 a 55 para as mulheres. Ocasionalmente, um competidor que perdeu uma porta termina o percurso e consegue um tempo oficial, mas é punido. O atleta também pode ser desclassificado caso o replay mostre que ele não passou corretamente por alguma das portas.

Jogos Olímpicos de Inverno no Terra

O Terra transmite ao vivo a competição em 15 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito.

Uma equipe de 60 profissionais está encarregada de fazer a cobertura direto de Vancouver e dos estúdios do Terra, em São Paulo, no Brasil, com as últimas notícias, fotos, curiosidades, resultados e bastidores da competição.

A equipe conta com a participação do repórter especialista em esportes radicais Formiga - com 20 anos de experiência em modalidades de neve -, e o pentacampeão mundial de skate Sandro Dias, que comenta a competição em seu blog no Terra.

No celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone e smartphones: m.terra.com.br/vancouver

Esqui Alpino Slalom (M) - Final:
Fonte: Terra
Publicidade