0

Polêmica e belas apresentações marcam patinação artística

1 mar 2010
01h50
atualizado às 06h24

Como não podia deixar de ser, a patinação artística foi palco de polêmica. Assim como em Salt Lake City 2002, onde também houve reclamação com relação ao pódio, em Vancouver não foi diferente. Por conta da subjetividade das notas atribuídas pelos jurados, é comum haver desavenças na modalidade. Mas nos Jogos de Inverno de 2010, também foi possível se emocionar com as belas apresentações e com a história de superação de uma atleta canadense.

A começar pela polêmica na patinação artística masculina. Tudo começou quando o patinador Evan Lysacek, dos Estados Unidos, fez uma apresentação de gala, mas preferiu não correr o risco de executar o salto quádruplo. O russo Evgeni Plushenko, então favorito ao lugar mais alto do pódio, também fez uma apresentação impecável, mas com um adendo, executou o salto quádruplo.

Ao final de seu programa, todos apontavam Plushenko como o medalhista de ouro, mas o atleta terminou a competição na segunda colocação, justamente atrás do americano.

Antes da prova, Plushenko havia dado uma declaração dizendo que patinadores deveriam, ao menos, tentar executar o salto quádruplo. E afirmou que a patinação masculina sem salto quádruplo, não é patinação. Lysacek, por sua vez, respondeu ao russo dizendo que se fizesse uma prova perfeita, não precisaria arriscar o salto polêmico para concorrer ao ouro, o que de fato, aconteceu.

Não satisfeito com o resultado, Plushenko ironizou o rival e disse que a medalha de prata que havia conquistado, na verdade era de platina.

Belas Apresentações

Não só polêmicas podem ser destacadas na patinação artística. Belas apresentações também marcaram a modalidade e emocionaram o público. Como é o caso da sul-coreana Yu-Na Kim.

Em sua primeira apresentação, surpreendeu ao coreografar a música tema do filme James Bond. E no programa final, ao som de Concerto em F, música de George Gershwin, exibiu leveza e perfeição na apresentação e cativou o público e os jurados, terminando a competição com a medalha de ouro.

Assim como o casal chinês Shen Xue e Zhao Hongbo. Casados na vida real, Shen Xue estava aposentada quando foi pressionada por seu parceiro a voltar às competições. A chinesa, então, exigiu o casamento. Como casal na vida real e na profissão, chegaram à Vancouver como favoritos e não decepcionaram. Fizeram uma apresentação de gala e ficaram com o lugar mais alto no pódio.

E para o delírio da torcida canadense, o casal Tessa Virtue e Scott Moir, representantes do Canadá, também confirmaram as expectativas e conquistaram o ouro. Apesar do desempenho abaixo do esperado na primeira apresentação, o casal se redimiu e, na segunda etapa, na dança livre, deram um show e levantaram o Pacific Coliseum.

Superação

Dois dias antes de competir, a canadense Joannie Rochette, uma das favoritas a medalha, recebeu a notícia da morte de sua mãe, vítima de uma parada cardíaca. Abalada, como não poderia deixar de ser, a atleta decidiu que não abriria mão de seu sonho e que iria competir, surpreendendo até o próprio pai.

Durante sua apresentação, a canadense, visivelmente emocionada, conseguiu se superar e executar movimentos perfeitos, que acabaram lhe rendendo a medalha de bronze. No final de seu programa, Rochette não conteve as lágrimas e dedicou a medalha à mãe.

Confira os medalhistas da patinação artística

Dança estilo livre misto

Tessa Virtue/Scott Moir- Canadá - ouro
Meryl Davis/Charlie White - Estados Unidos - prata
Oksana Domnina/Maxim Shabalin - Rússia - bronze

Duplas mistas

Shen Xue/Hongbo Zhao - China - ouro
Qing Pang/Jian Tong - China - prata
Qing Pang/Jian Tong - Alemanha - bronze

Individual feminino

Yu-na Kim - Coreia do Sul - ouro
Mao Asada - Japão - prata
Joannie Rochette - Canadá - bronze

Individual masculino

Evan Lysacek - Estados Unidos - ouro
Evgeni Plushenko - Rússia - prata
Daisuke Takahashi - Japão - bronze

Patinação Artística - Dança - Original
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade