0

Presepadas de favoritos marcam patinação de velocidade

1 mar 2010
02h27
atualizado às 06h43

Além de provas emocionantes, a patinação de velocidade dos Jogos de Inverno de Vancouver foi marcada por presepadas de alguns dos favoritos. Como o holandês Sven Kramer, que perdeu o ouro nos 10.000 m por uma "distração", ou o canadense Denny Morrison, que teve seu mau desempenho nos 1.000 m atribuído a forças ocultas.

Kramer, melhor do mundo nos 5.000 m e nos 10.000 m, confirmou o favoritismo na primeira distância e conquistou o ouro. E seguia a passos largos para repetir o feito na outra prova. Nos 10.000 m, o holandês diminuía, em média, 0,5s o tempo do sul-coreano Seung-Hoon Lee, que já havia quebrado o recorde olímpico da prova.

Contudo, durante a prova, no limite para mudar de lado da pista, Kramer realizou uma manobra considerada irregular pelos juízes - ao invés de patinar com os dois pés à esquerda do cone, ele passou com as pernas sobre os cones. Assim, mesmo tendo feito o melhor tempo (e quebrado o recorde olímpico), foi desclassificado e a medalha de ouro ficou com Seung-Hoon Lee. Inconformado, o holandês não escondeu sua irritação, jogou o óculos e teve uma crise de choro.

Já Denny Morrison era a esperança de medalhas para o Canadá nos 1.000 m, mas terminou apenas na 13ª colocação. Assim, somente o argumento sobrenatural do técnico Marcel Lacroix para explicar a decepção. "Denny não estava tão focado como costuma estar. Ele tem estado sob muita pressão. A torcida queria tanto a vitória e ele não conseguiu ser ele mesmo. Algo aconteceu. Algum demônio apareceu".

Presepadas à parte, a patinação de velocidade ofereceu grandes provas em Vancouver. O próprio Sven Kramer conquistou os 5.000 m com novo recorde olímpico (6min14s60). Já o americano Shani Davis, que em Turim 2006 tornou-se o primeiro negro a levar um ouro em esporte individual nos Jogos de Inverno, repetiu a dose e conquistou o bicampeonato nos 1.000 m.

Apesar do ouro nos 1.000 m, Shani Davis não alcançou seu grande sonho: conquistar também os 1.500 m. Nesta prova, o americano ficou com a prata, pois foi superado pelo holandês Mark Tuitert. Chad Hedrick, um dos maiores nomes da patinação de velocidade, que está se aposentando, foi apenas o sexto colocado e mostrou-se decepcionado pelo melancólico fim de carreira.

Confira os medalhistas da patinação de velocidade

Perseguição por equipes 6 voltas - feminino

Alemanha - ouro
Japão - prata
Polônia - bronze

Perseguição por equipes 6 voltas - masculino

Canadá - ouro
Estados Unidos - prata
Holanda - bronze

1000m feminino

Christine Nesbitt - Canadá - ouro
Annette Gerritsen - Holanda - prata
Laurine van Riessen - Holanda - bronze

1000m masculino

Shani Davis - Estados Unidos - ouro
Tae-Bum Mo - Coreia do Sul - prata
Chad Hedrick - Estados Unidos - bronze

10000m masculino

Seung-Hoon Lee - Coreia do Sul - ouro
Ivan Skobrev - Rússia - prata
Bob De Jong - Holanda - bronze

1500m feminino

Ireen Wust - Holanda - ouro
Kristina Groves - Canadá - prata
Martina Sablikova - República Checa - bronze

1500m masculino

Mark Tuitert - Holanda - ouro
Shani Davis - Estados Unidos - prata
Havard Bokko - Noruega - bronze

5000m feminino

Martina Sablikova - República Checa - ouro
Stephanie Beckert - Alemanha - prata
Clara Hughes - Canadá - bronze

500m masculino

Sven Kramer - Holanda - ouro
Seung-Hoon Lee - Coreia do Sul - prata
Ivan Skobrev - Rússia - bronze

500m masculino

Sven Kramer - Holanda - ouro
Seung-Hoon Lee - Coreia do Sul - prata
Ivan Skobrev - Rússia - bronze

Patinação de Velocidade (M) - 10.000m - Final
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade