3 eventos ao vivo

Taco, luvas e disco somem após gol de ouro no hóquei olímpico

4 mar 2010
15h14

Sean D. Hamill

Não se sabe quem ficou com a bola imortalizada em uma jogada de Bobby Thomson em uma partida de beisebol realizada em 1951, que se tornou conhecida pelo apelido "the shot heard around the world" (a rebatida ouvida ao redor do mundo). O paradeiro da bola com que Wilt Chamberlain marcou seu 100° ponto em uma partida da NBA disputada em 1962 também é controverso.

Agora podemos acrescentar o taco, as luvas e o disco que Sidney Crosby usou para marcar o gol da vitória na disputa da medalha de ouro do hóquei contra os Estados Unidos nos jogos de inverno de Vancouver.

No frenesi que irrompeu no último domingo no Canada Hockey Place, em, Vancouver, Crosby lançou ao ar seu taco e luvas depois de marcar o gol da vitória em disparo que sobrepujou o goleiro americano Ryan Miller, já na prorrogação. E ele nunca mais os viu.

"Não, não fiquei com nada daquilo", disse Crosby na última terça-feira em Pittsburgh. "Creio que, quando o gelo foi limpo, ninguém me tenha devolvido minhas luvas ou o taco. Só recebi de volta o meu protetor bucal. É uma daquelas situações em que você não sabe onde as coisas foram parar, ou eu as perdi de vista; se um dia as receber de volta, ótimo; se não, bem, alguém deve tê-las recolhido e guardado em algum lugar".

Nenhum outro equipamento da equipe canadense desapareceu ao final do jogo.

"É óbvio que, já que Sidney marcou o gol decisivo e por ele ser o mais popular dos jogadores canadenses, alguém decidiu que desejava muito recolher suas luvas e taco e levá-los para casa", disse Scott Salmond, diretor de seleções masculinas na Federação Canadense de Hóquei, na quarta-feira.

Uma das luvas, aparentemente, está a caminho da sede da federação, em Calgary, Alberta. Uma funcionária da federação ligou na noite de domingo para dizer que estava com a luva, e a que estava mantendo em segurança, depois de encontrá-la presa à rede que fica por sobre a proteção de vidro entre o rinque e a torcida, o lugar a que Crosby arremessou seu material.

"Temos uma ou duas pistas sobre o taco, mas a outra luva desapareceu e continuamos à sua procura", disse Salmond. "Estamos confiantes em que poderemos recuperá-la e que as pessoas farão a coisa certa e Sidney receberá de volta seu taco e luvas".

Quando a celebração começou, os trabalhadores voluntários dos jogos recolheram os itens abandonados no rinque, e guardaram alguns deles em uma pilha de objetos em um depósito trancado, no local onde ficam guardadas as máquinas Zamboni de alisamento de gelo, disse Salmond.

"Muita gente tinha acesso àquela área", disse Salmond. "Voluntários, funcionários do ginásio, o pessoal do comitê organizador da olimpíada".

Ele acrescentou que "não tenho respostas sobre o disco usado para marcar o gol decisivo. Nós nunca o tivemos, e não sabemos se desapareceu ou se está de posse de alguém".

Salmond disse que embora o equipamento dos jogadores seja responsabilidade da federação nacional, o disco é responsabilidade da Federação Internacional de Hóquei, do Comitê Organizador dos Jogos de Vancouver (Vanoc) ou do Comitê Olímpico Internacional.

Phil Pritchard, durador da Galeria da Fama do Hóquei, em Toronto, estava no jogo e diz ter conversado com os jogadores participantes para determinar que itens eles estariam dispostos a doar.

Passados 35 minutos do final da partida, disse ele, Salmond já o havia informado que o taco e as luvas de Crosby estavam desaparecidos.

"Eu estava pensando que, com alguma sorte, talvez esses objetos não tivessem sido perdidos", disse Pritchard, conhecido como "o guardador da Copa", porque viaja a toda parte com a Stanley Cup, nos intervalos entre as temporadas de hóquei, quando os jogadores vitoriosos estão autorizados a reter a taça por algum tempo.

Pritchard conseguiu a doação das calças de Crosby. Jarome Iginla, que passou o disco para o arremate decisivo de Crosby, doou seu taco.

A Galeria da Fama também recebeu a rede na qual Crosby marcou o gol da vitória.

"Isso é muito importante para nós porque os canadenses apreciam muito a oportunidade de ver o taco de Paul Henderson, e ver qualquer coisa que pudermos obter do jogo que nos valeu a medalha de ouro será igualmente importante", disse Kelly Masse, porta-voz da Galeria da Fama.

Ela estava se referindo ao taco com que Paul Henderson marcou o gol da vitória na disputa da Summit Series de hóquei entre o Canadá e a União Soviética, em 1972, talvez o maior momento precedente no folclore do hóquei no país.

O equipamento de Crosby, e especialmente o disco, teriam valor considerável no mercado de leilões esportivos. "De dezenas de milhares de dólares pelo taco e o disco a centenas de milhares de dólares pelo disco", disse Chris Ivey, diretor de leilões esportivos na Heritage Auction Galleries, de Dallas.

"Estamos falando do maior astro mundial do hóquei, jogando pelo Canadá, no Canadá, e fazendo o gol da vitória em uma disputa pelo ouro olímpico", disse Ivey. "Seria um item de alta procura".

Tradução: Paulo Migliacci

Autor do gol que decidiu a vitória canadense, Crosby perdeu luvas e taco
Autor do gol que decidiu a vitória canadense, Crosby perdeu luvas e taco
Foto: Getty Images
The New York Times
publicidade