0

Vancouver sofre com "pista da morte", tropeços e críticas

1 mar 2010
01h47
atualizado às 06h47
Anderson Giorge
Direto de Vancouver

Os Jogos Olímpicos de Vancouver ficarão marcados por ser uma das edições de inverno em que a população local mais se empolgou com a competição e os resultados da "nação". Mas também serão lembrados por deslizes, falhas no transporte, "culpa" sobre o aquecimento global e uma tragédia.

Veja os problemas enumerados pelo Terra:

1- Tragédia
No dia 12 de fevereiro, dia da cerimônia de abertura, os Jogos sofreram um duro golpe. Ainda nos treinos do luge, o georgiano Nodar Kumaritashvili morreu depois de sofrer um acidente terrível na pista do Whistler Sliding Centre.

Para tentar contornar a situação, a Federação Internacional de Luge (FIL) decidiu mudar o ponto de saída dos trenós como forma de reduzir a velocidade final de 156 km/h para algo em torno de 140 km/h.

Mesmo com a tragédia, a pista irá seguir o plano de virar um legado para a região de Vancouver e Whistler, virando centro de treinamentos para jovens e palco para competições futuras de Copa do Mundo e Mundiais de luge, skeleton e bobsled.

"Nunca nos esqueceremos a trágica perda de Nodar Kumaritashvili, e os nossos pensamentos continuarão com os seus amigos, familiares e membros da comunidade das competições de sliding", disse Svein Romstad, secretário geral da FIL.

2- Que calor!
Outro grave problema em Vancouver aconteceu em Cypress, palco das provas de snowboard e esqui estilo livre. O local foi o que mais sofreu com o inverno mais quente dos últimos 114 anos na região.

Por essa razão, cerca de 28 mil ingressos tiveram de ser devolvidos. Esses torcedores ficariam em um local em que o gelo estava derretendo e poderia ser inseguro deixá-los acompanhar os eventos no local.

Outro lugar que sofreu com a instabilidade climática foi Creekside, em Whistler. As competições de esqui sofreram vários atrasos e a pista foi duramente criticada pela americana Lindsey Vonn, uma das estrelas dos Jogos.

Por causa dos problemas, ainda nos primeiros dias, a imprensa europeia chegou a dizer que eram os "piores Jogos de Inverno da história", mas os membros da organização rebatem.

"O tempo realmente não cooperou. Mas as críticas que sofremos no início não se seguraram com o tempo. Achei que elas foram de uma forma precipitada e de certa forma injustas", disse John Furlong, diretor executivo dos Jogos de Vancouver.

Dave Cobb, vice-presidente do Comitê Organizador, minimizou as críticas internacionais e disse que o "ponto da virada" foi quando os "críticos não puderam mais continuar com a 'agenda'".

3- Transporte
No início dos Jogos, houve um sério problema com transporte de atletas, jornalistas e torcedores para os palcos de competição espalhados por Vancouver, Whistler, Richmond e West Vancouver. Faltava transporte, havia atrasos e alguns veículos tiveram problemas e quebraram.

Mas a organização conseguiu agir e ainda nos primeiros dias de Jogos pediu cerca de 100 novos ônibus, oriundos dos Estados Unidos, para resolver o problema. "Alguns dos nossos ônibus estavam abaixo da condição ideal", disse Cobb.

4- Segurança
A segurança também não passou despercebida pelos olhares dos críticos. Um homem com problemas mentais conseguiu uma credencial falsa e teve de ser contido por seguranças quando se aproximava do vice-presidente dos EUA, Joe Biden, durante a cerimônia de abertura.

5- Tocha olímpica
A pira olímpica está certamente entre os maiores tropeços dos Jogos de Vancouver. Na cerimônia de abertura, um dos quatro totens que formariam a pira não subiu.

"Houve uma falha mecânica, mas não estou completamente certo do que aconteceu. O mecanismo é muito complexo. Um de seus braços não estava em perfeito funcionamento. Por isso, infelizmente tivemos que usar apenas três", disse David Atkins, diretor artístico do evento.

Posteriormente, já com os quatro totens em pé, o símbolo olímpico ficou conhecido como "muro da discórdia" por haver uma grade que praticamente inviabilizava para os turistas e fãs tirarem fotos da pira.

A organização agiu e criou uma passarela para facilitar a visualização dos interessados. Mas, ainda assim, não era o ideal e, por fim, decidiram retirar parte da grade e instalar um vidro transparente.

6- Protestos
Os Jogos de Vancouver foram palco também de protestos, alguns até de forma violenta, por parte de canadenses contrários à realização da competição.

Na cidade-sede, houve atos de vandalismo em lojas, carros pichados e ataques a pessoas que andavam pelo centro. A polícia canadense agiu e prendeu dezenas de manifestantes.

Georgianos prestam homenagem a atleta morto em acidente
Terra

compartilhe

publicidade
publicidade