5 eventos ao vivo

Alison/Emanuel volta ao Brasil e fica junta ao menos até fim de 2013

10 ago 2012
22h59
atualizado em 11/8/2012 às 02h51
André Naddeo
Direto do Rio de Janeiro

Medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Londres, a dupla do vôlei de praia Alison/Emanuel desembarcou por volta das 22h desta sexta-feira, no aeroporto internacional do Rio de Janeiro. Cercados por parentes e amigos, que fizeram bastante festa para recepcioná-los no saguão de desembarque, os atletas garantiram que, pelo menos até o final da temporada de 2013, seguem juntos em busca de mais conquistas.

» Veja as mais belas atletas, torcedoras e cheerleaders de Londres 2012
» Vote na maior decepção brasileira nos Jogos de Londres
» Escolha o esporte e assista aos vídeos da Olimpíada de Londres
» Saiba tudo sobre os medalhistas do Brasil em Londres
» Confira a programação de ao vivo do Terra
» Veja a agenda e resultados dos Jogos de Londres

"Ainda não é o momento, tenho mais gás para esse ano e ano que vem, sem dúvida. Depois, vai depender do que acontecer", explicou Emanuel, orgulhoso pela prata conquistada em solo londrino, que o colocou no hall dos atletas com três medalhas olímpicas - em Pequim, 2008, ele foi bronze, enquanto que em Atenas, 2004, conquistou o ouro ao lado de Ricardo.

"Eu sou muito sincero comigo mesmo. Se chegar o momento que eu não estiver mais competitivo, vou chegar e dizer que não dá mais. Eu sou muito crítico comigo mesmo. Antes de alguém falar, eu mesmo tomarei a decisão", disse o atleta, 39 anos, sempre incentivado pelo companheiro Alison, a quem hoje considera "um irmão".

"Eu já disse e vou repetir: se pudesse, daria quatro anos para ele estar presente na Olimpíada aqui do Rio de Janeiro. Eu estou motivando ele, e sei que ele vai continuar", discursou Alison, sempre bastante otimista em relação à forma física do parceiro.

Antes de alinhar o futuro, porém, a dupla de prata do Brasil só pensa em descanso. Afinal, foram doze horas de voo precedidas por muitas entrevistas. "Agora eu não estou pensando em nada. Dormi só uma hora. Vou para Vitória (ES), domingo é aniversário da minha mãe, Dia dos Pais. Não tem dinheiro que compre ficar perto da família e dos amigos. Eles sabem muito bem o que a gente passa. Voltar para o Brasil é tudo, 12 horas é pouco perto do que eles merecem", se orgulhou Alison.

"A felicidade de estar com a família diz tudo. São eles que me energizam. São as pessoas que me dão a força para continuar seguindo. São três dias para recarregar as energias, mais sete dias de foco, e depois folgar um pouco, né", disse Emanuel, já pensando na última etapa do circuito mundial de vôlei de praia, em Stare Jablonski, na Polônia. A dupla lidera a disputa ao lado dos americanos Gibbe e Rosenthal. Eles embarcam na próxima segunda-feira.

"Expectativa é ganhar, por isso que a gente está indo. Não imaginávamos que poderíamos ganhar o circuito mundial. Estamos na liderança ao lado dos americanos, então vamos com tudo", finalizou Alison.

Atletas chegam ao aeroporto depois de conquistar a medalha de prata em Londres
Atletas chegam ao aeroporto depois de conquistar a medalha de prata em Londres
Foto: Alexandre Arruda/CBV / Divulgação
Fonte: Terra
publicidade