0

Cielo admite que nadar dá "tédio", mas diz: só para em 2020

3 jan 2012
10h31

Mesmo podendo curtir alguns dos prazeres da fama, a vida de Cesar Cielo na maior parte do tempo se resume a uma palavra: "tédio". Em entrevista à nova edição da revista italiana Max, o atleta admite que nadar é "chato", mas adianta que continuará se dedicando com afinco ao esporte pelo menos até 2020.

Cielo, 24 anos, consagrou-se nas últimas temporadas com quatro medalhas de ouro em Campeonatos Mundiais de Natação (duas nos 50 m livre, uma nos 100 m livre e uma nos 50 m borboleta) e uma nos Jogos Olímpicos de Pequim (nos 50 m livre).

Apesar de tantas conquistas, o brasileiro reconhece que sua profissão muitas vezes é "chata" porque na água se "está sempre sozinho". Ele aponta que as partes divertidas de seu dia "certamente não são as horas de treinamento - menos ainda aqueles (que acontecem) de manhã cedo".

Por outro lado, aponta como uma grande satisfação "a adrenalina" provocada pelas provas e o fato de entrar em "uma competição contra si mesmo" ao cair na água.

Assim, ele nega a intenção de se aposentar precocemente - coisa que o australiano Ian Thorpe, pentacampeão olímpico, fez em 2006 retirando-se aos 24 anos antes de retornar ao esporte em 2011 - e detalha o planejamento de competir até 2020. Até lá, um de seus principais objetivos é "pular na piscina no Rio de Janeiro (na Olimpíada de 2016) e sair de lá com uma medalha de ouro no pescoço".

Quando já estiver afastado da natação, Cielo diz já saber uma coisa que não tem intenção de fazer: ser treinador. Ele ainda usa a expressão "jurar" para afirmar que jamais voltará a acordar "todas as manhãs às 5h30", algo que está acostumado a fazer atualmente.

Cielo ganhou quatro medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011
Cielo ganhou quatro medalhas de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara 2011
Foto: Ivan Pacheco / Terra
Fonte: Terra
publicidade