0

Empresa de segurança de Londres admite: nem todos guardas falam inglês

14 jul 2012
08h57
atualizado às 09h17

O imbróglio envolvendo a G4S, empresa contratada para garantir a segurança dos Jogos Olímpicos de Londres, ganhou novos capítulos neste sábado: Nick Buckles, presidente da empresa, disse que os guardas contratados para o evento podem não falar inglês. Além disso, estudantes denunciaram que o teste de contratação não passou de cinco minutos e envolveu "cheirar vodka".

» Saiba como assistir à Olimpíada no Terra
» Coloque as notícias sobre a Olimpíada no seu site
» Brigas e dramas: relembre grandes momentos olímpicos
» Saiba todos os detalhes dos atletas brasileiros que estarão em Londres

Segundo o jornal Guardian, Buckles só descobriu que a companhia dele não vai conseguir cumprir o contrato há poucos dias e admitiu que uma parte dos guardas contratados pela empresa não são fluentes em inglês. O presidente da G4S afirmou que "todos estão aptos a trabalhar no Reino Unido", portanto não são trabalhadores ilegais, e que "em alguns cargos a comunicação direta com o público não é necessária".

Nesta sexta-feira a mídia inglesa veiculou que um total de 3,5 mil soldados britânicos vão fazer a cobertura que deveria ser feita pela empresa, a um custo total de R$ 47 milhões aos contribuintes, já que a G4S não conseguiu cumprir a meta proposta no contrato com o Comitê organizadors dos Jogos de Londres (LOCOG, da sigla em inglês), que era de 13,7 mil funcionários.

Além da falha no cumprimento do contrato com o LOCOG, a G4S viu a empresa envolvida em mais um escândalo: de acordo com o jornal Standard, estudantes que se inscreveram para tentar uma vaga na segurança dos Jogos disseram que o teste da empresa não durou cinco minutos e uma das provas envolvia os candidatos "cheirarem vodka".

Após uma breve entrevista, os candidatos deveriam cheirar dois copos - um com água e outro com vodka - em um teste cego, para concorrer a uma vaga na operação de máquinas de raio-x.

Com um contrato de 284 milhões de libras (cerca de R$ 900 milhões) para garantir a segurança nos Jogos, a empresa se defendeu dizendo que "tudo foi feito dentro das exigências estabelecidas pelo LOCOG".

Olimpíada ao vivo no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, de 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura conta com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

Após escândalos envolvendo a G4S, soldados britânicos vão ajudar na segurança dos Jogos de Londres
Após escândalos envolvendo a G4S, soldados britânicos vão ajudar na segurança dos Jogos de Londres
Foto: Reuters
Fonte: Terra
publicidade