0

Empresa de segurança dos Jogos não será multada por falhas

13 jul 2012
09h41
  • separator

Com um efetivo de 13.700 soldados prometido para a segurança de Londres durante os Jogos Olímpicos de Londres, a empresa particular G4S colocou à disposição da cidade britânica apenas 4 mil. Faltando 14 dias para o início dos jogos, o Comitê Organizador Local (Locog) tem recebido críticas, pois 284 milhões de libras (cerca de R$ 900 milhões) foram investidos para contratar o grupo que dificilmente cumprirá a meta prevista por contrato - e não receberá multa por isso.

» Saiba como assistir à Olimpíada no Terra
» Coloque as notícias sobre a Olimpíada no seu site
» Brigas e dramas: relembre grandes momentos olímpicos
» Saiba todos os detalhes dos atletas brasileiros que estarão em Londres

Uma fonte do governo entrevistada site The Independent afirmou nesta sexta-feira que o contrato da G4S com o Locog não incluía uma cláusula de multa caso a demanda do efetivo não fosse atingida. A declaração vai contra o que foi dito pela Secretária de Estado para assuntos internos, Theresa May, que entendia haver punições no acordo feito entre as duas organizações.

Ao contrário do que disse May, a G4S receberia mais a cada soldado providenciado, sem ser penalizada se não fosse atingido o objetivo. O Locog, porém, refutou as acusações através de um porta-voz, que garantiu que se a empresa não providenciar o número combinado, ela não será remunerada com a mesma quantidade de dinheiro.

A empresa de segurança se manifestou ao London Evening Standard, explicando que apesar de a G4S ter mais de 650 mil funcionários ao redor do mundo, o recrutamento para a Olimpíada foi algo sem precedentes e muito complexo, além de ser realizado em um curto período de tempo.

No total, uma força de segurança de 23.700 indivíduos será empregada em Londres, 17 mil deles provenientes do exército. A necessidade de chamar soldados que estavam de férias de volta ao trabalho também atraiu críticas dentro do governo inglês. "A G4S deixou o país na mão e nós tivemos literalmente que enviar as tropas", reclamou Keith Vaz, do partido trabalhista, ao Standard.

Ainda em relação à empresa privada de segurança o site do jornal The Guardian alertou para a falta de plano de ação, trazida à tona por alguns dos recrutas que passaram recentemente pelo treinamento direcionado aos Jogos de Londres.

Além de classes lotadas, com 200 alunos e apenas 2 instrutores, a G4S ainda não teria instruído, há duas semanas do início da Olimpíada, como fazer raio-x de mochilas, qual é o uniforme a ser utilizado pela equipe de segurança, quando os funcionários começariam a trabalhar nem feito a preparação dos soldados nos ambientes nos quais os soldados serão responsáveis pela segurança.

Olimpíada ao vivo no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, de 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura conta com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

G4S não deve entregar efetivo prometido e é acusada de falhas na preparação de recrutas
G4S não deve entregar efetivo prometido e é acusada de falhas na preparação de recrutas
Foto: Terra

Veja também:

Final do Paulistão e início do Brasileiro são os destaques do fim de semana
Fonte: Terra
publicidade