0

Judô brasileiro investe R$ 5 mi por resultado histórico em Jogos

22 mai 2012
15h44
atualizado em 23/5/2012 às 12h03
  • separator

Turbinada por um investimento de R$ 5 milhões só neste ano, a equipe brasileira de judô teve uma preparação diferenciada para os Jogos de Londres e visa seu melhor resultado em Olimpíadas. A meta é conquistar quatro medalhas, sendo ao menos uma de ouro.

Cathy Freeman conquista medalha de ouro em Sidney; reveja

» Brigas e dramas: relembre grandes momentos olímpicos
» Saiba como estão os ídolos da Seleção de prata de 1988

Pela primeira vez, o País levará a uma Olimpíada uma equipe completa -sete judocas na equipe masculina e sete na feminina, classificados pelo ranking mundial. Os únicos países além do Brasil com 14 atletas garantidos são Japão, Coreia do Sul, França e Grã-Bretanha (por ser o país-sede).

"Nosso objetivo é alcançar o melhor resultado que já tivemos em Jogos Olímpicos. O ótimo para a gente é chegar a quatro medalhas, dentre essas, pelo menos uma de ouro", disse em entrevista à Reuters o coordenador técnico da Seleção Brasileira de judô, Ney Wilson.

"A gente se preparou, investiu e está acreditando nesse resultado", completou.

A equipe de judô conta com fortes patrocinadores, incluindo Infraero, Sadia e Bradesco, além de recursos vindos de leis de incentivo ao esporte olímpico, em sua preparação para Londres 2012.

Nos últimos quatro anos, 60% do orçamento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) foi investido na preparação e ranqueamento dos atletas para a Olimpíada - R$ 5 milhões apenas na atual temporada. Em 2008, ano dos Jogos de Pequim, o valor investido foi de R$ 2 milhões.

Pela classificação, os 14 representantes do País no judô, anunciados neste mês, dividirão um prêmio de R$ 1 milhão, e aqueles que conquistarem medalha ratearão outro R$ 1 milhão.

"Foi muito mais detalhado o planejamento. Isso gerou mais despesa, mas os resultados vieram e isso é uma bola de neve. Quanto mais resultado, mais investimento, e a coisa foi funcionando", disse Wilson.

O dirigente explicou que o projeto para Londres primeiramente separou a equipe masculina da feminina. Depois, "passamos a tratar cada categoria, que tinha necessidades diferentes em termos de ranqueamento e potencial dos atletas".

Com os recursos, os brasileiros participaram de mais torneios no exterior e contam com dois judocas na primeira colocação do ranking mundial: Mayra Aguiar (categoria até 78 kg) e Leandro Guilheiro (até 81 kg), ganhador de medalhas de bronze em Atenas 2004 e Pequim 2008. Outros oito atletas também serão cabeças-de-chave em Londres.

"Hoje temos uma equipe apontada pela crônica internacional como uma das cinco equipes que vão brigar pelas medalhas olímpicas", afirmou Wilson. "É a melhor equipe (brasileira da história) em talento e a melhor em preparação."

Longe da Vila

O judô é a única modalidade no Brasil que conquista medalhas há sete Olimpíadas consecutivas, porém o último ouro veio há 20 anos, com Rogério Sampaio, nos Jogos de Barcelona, em 1992.

Para voltar a subir no lugar mais alto do pódio olímpico, os dirigentes e a comissão técnica prepararam uma logística que inclui treinos e a hospedagem na cidade de Sheffield, a cerca de duas horas e meia de Londres. Os atletas só entrarão na Vila Olímpica dois dias antes de competir.

"Isso minimiza o efeito do oba-oba, de estar no holofote, de as atletas ficarem muito soltas dentro de uma Vila Olímpica, porque são muitas possibilidades lá. Eu acho superpositivo o fato de os atletas estarem isolados, voltados só para o treinamento, focados", declarou a técnica da equipe feminina, Rosicleia Campos, que disputou como atleta os Jogos de 1992 e 1996 e foi treinadora em 2008.

"Eu vivi o clima olímpico, então eu sei o que é bom e o que é ruim. Claro que difere de atleta para atleta, mas é um pouco aquela coisa de mãe que já viveu aquilo e fala 'não vai por aqui, vai por ali'", disse.

Sob o comando de Rosicleia, que ganhou do Comitê Olímpico Brasileiro o prêmio de melhor técnica em 2011, o Brasil conquistou sua primeira medalha olímpica no judô feminino, com Ketleyn Quadros, em Pequim. No total, o País tem 15 pódios olímpicos: 2 ouros, 3 pratas e 10 bronzes.

Segundo a treinadora, a diferença da equipe atual para a de outras Olimpíadas é que agora o País tem chances de medalhas em todas as categorias.

"A equipe é bem jovem, mas são atletas muito rodadas, a gente viajou muito, participou de competições muito grandes", disse Rosicleia, que costuma vibrar muito durante as lutas.

"É uma equipe bastante homogênea, consistente, diferente de todas as outras equipes que saíram do Brasil, é a melhor de todos os tempos."

Londres 2012 no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, que serão realizados entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura contará com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade