0

Londres teme colapso no transporte durante a Olimpíada

1 mar 2012
10h50
atualizado em 2/5/2012 às 16h54
  • separator

Londres tem a segunda maior rede metroviária do mundo, com 402 km de extensão. Graças a um sistema integrado entre metrô, ônibus e trem, e sinalização adequada em ruas e estações, já foi eleita, por duas vezes, a cidade mais prática de se locomover, em pesquisa com turistas.

Mas nem esse status tranquliza os envolvidos com os Jogos Olímpicos de 2012. Existe um temor coletivo de que o transporte público, que tem demanda diária de 24 milhões de viagens, não dê conta de suportar os milhares de visitantes que a cidade britânica receberá - nos horários de pico da Olimpíada, o número de viagens deve aumentar em 12,5%. As previsões ponderadas estão na mesma proporção das apocalípticas.

Mais do que não causar transtornos, Londres não quer ficar marcada como um fracasso, como os Jogos de Atlanta, em 1996, exemplo de má gestão dos transportes pelos problemas de locomoção enfrentados por autoridades, atletas e espectadores, como Sebastian Coe alertou em recente discurso no Parlamento.

"O projeto da rota olímpica diz respeito à funcionalidade, não tem a ver com glamour. Vocês têm uma escolha: fazer essa cidade ser lembrada como Barcelona ou como Atlanta", afirmou o presidente do Comitê Organizador dos Jogos de Londres, citando a Espanha como um modelo.

Outro problema a ser driblado é o trânsito, intenso nos horários de pico e difícil de ser desviado pelas ruas estreitas de Londres. O grande problema será incluir as faixas exclusivas para atletas e autoridades, um item obrigatório em Olimpíada.

Londres 2012 no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, que serão realizados entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura contará com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

COI cita exemplo negativo de Atlanta, em 1996, para alertar a capital inglesa
COI cita exemplo negativo de Atlanta, em 1996, para alertar a capital inglesa
Foto: AFP

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Fonte: Lancepress!
publicidade