0

Única porta-bandeira mulher, Sandra Pires relembra surpresa "fantástica"

8 jul 2012
10h48

Gabriel Francisco Ribeiro
Direto de São Paulo

A escolha de Rodrigo Pessoa para carregar a bandeira brasileira na Olimpíada de Londres não causou tanta surpresa, apesar dos fortes concorrentes, como Cesar Cielo e Maurren Maggi. De fato, a escolha de um homem como porta-bandeira não é novidade: em 20 participações brasileiras nos Jogos, só em Sidney 2000, com Sandra Pires, o Brasil teve uma porta-bandeira feminina. A ex-atleta do vôlei de praia relembra a experiência como uma grande surpresa.

» Veja como colocar o widget de Londres 2012 em seu site
» Brigas e dramas: relembre grandes momentos olímpicos
» Saiba todos os detalhes dos atletas brasileiros que estarão em Londres

"O atleta nem pensa nisso. Eu estava pensando em garantir a classificação para os Jogos, treinar para a disputa. Foi uma surpresa grata demais quando o Nuzman (Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro) me ligou e disse que eu seria a porta-bandeira", relembra a ex-atleta, que nos Jogos de Atlanta, em 1996, tornou-se a primeira mulher medalhista de ouro do Brasil. Sandra acredita que ter ganho uma medalha de ouro foi um dos principais fatores para sua escolha.

"Na época eu concorri com o Guga (Gustavo Kuerten, tenista) e com o Scheidt (Robert Scheidt, iatista). O COB queria um campeão olímpico, então o Guga saiu da disputa e acabaram me escolhendo porque a vela já tinha tido um porta-bandeira. Ainda naqueles Jogos faziam 100 anos da primeira participação feminina, então a escolha foi justa, uma homenagem", conta.

Sandra Pires ainda teve a "sorte" da sua parceira no ouro de Atlanta, Jackie Silva, estar encerrando a carreira na época dos Jogos de Sidney e não ter ido para a Olimpíada. Quatro anos antes, Jackie havia sido a "culpada" pela ausência de Sandra na cerimônia de abertura da Olimpíada de 1996, quando a atleta fazia sua estreia na competição internacional.

"Ela (Jackie) disse para eu não ir, que era desgastante, tirava o foco. Encheu o meu saco e acabei não desfilando. Fiquei três dias sem falar com ela, vimos a abertura com o nosso técnico em uma televisão muquirana, em uma casinha afastada, no meio do mato. Depois vi que ela estava certa, é muito cansativo, mas fiquei bem chateada naquele momento", recorda, entre risos.

A tristeza de Sandra por não ter participado da abertura era tanta que quando conseguiu a classificação para Sidney e foi convidada para ser porta-bandeira não pensou duas vezes. "Aí foi fantástico. Queria desfilar de qualquer jeito, não queria nem saber", diz.

Sobre a escolha de Rodrigo Pessoa, Sandra Pires prefere não opinar sobre os critérios do COB, mas elogia o atleta. "Eu conheço ele, já estive em Olimpíadas com ele. É um profissional super sério, campeão olímpico, um grande representante do hipismo. Tem que valorizar todos os esportes", afirma.

A ex-atleta do vôlei de praia irá para os Jogos de Londres como comentarista de um canal por assinatura, função que já exerceu em 2008, na Olimpíada de Pequim. Atualmente, ela também cursa educação física e é embaixadora da Unesco.

Londres 2012 no Terra

O Terra, maior empresa de internet da América Latina, transmitirá ao vivo e em alta definição (HD) todas as modalidades dos Jogos Olímpicos de Londres, que serão realizados entre os dias 27 de julho e 12 de agosto de 2012. Com reportagens especiais e acompanhamento do dia a dia dos atletas, a cobertura contará com textos, vídeos, fotos, debates, participação do internauta e repercussão nas redes sociais.

Ex-atleta foi a primeira medalhista de ouro mulher do Brasil em Olimpíada
Ex-atleta foi a primeira medalhista de ouro mulher do Brasil em Olimpíada
Foto: Getty
Fonte: Terra
publicidade