4 eventos ao vivo
Logo do Olimpíada 2016
Foto: terra

Olimpíada 2016

Os anunciantes aqui reunidos não possuem relação com os Jogos Rio 2016 e patrocinam apenas este caderno especial.

Rio 2016 vai intensificar compras em 2014; total somará R$ 3 bilhões

7 ago 2013
18h34
atualizado às 18h37
  • separator
  • 0
  • comentários

Com o objetivo de agilizar as compras e preparar as empresas para a demanda futura com a Olimpíada 2016, o Comitê Organizador dos Jogos do Rio de Janeiro lançou nesta terça-feira em seu site o Portal de Suprimentos para a competição. Lá estarão listados os bens e serviços que a competição demandará. A projeção é que o total chegue a 30 milhões de itens dos quais 1 milhão em equipamentos esportivos, espalhados por 253 projetos. O orçamento estimado é de R$ 3 bilhões.

Diretor de suprimento do Comitê Rio 2016, Fernando Cotrim explicou que a maior parte das compras será feita até o ano que vem. Segundo ele, a organização está se antecipando, por exemplo, em comparação com Londres, que fez a maior parte das aquisições no ano anterior, ou no ano da competição, ocorrida no ano passado. Pequenas e micro empresas também poderão concorrer, desde que não tenham nenhuma restrição de crédito. Elas poderão recorrer ao Sebrae para obter maior qualificação para participar das concorrências.

“Há um esforço a ser feito para que as micro e pequenas empresas participem, de fato, desta janela de oportunidades”, afirmou Cotrim. A lista estará disponível no site.

Empresas nacionais e internacionais poderão concorrer. Conforme declarou Cotrim, as interessadas terão “oportunidades iguais”. Ele pontuou que, especialmente em áreas em que as companhias nacionais não têm capacidade de fornecer, será incentivado que haja associações com empresas estrangeiras com experiência, especialmente em Olimpíadas.

Presidente do Sebrae, Luiz Barretto admitiu que os fornecedores nacionais não têm capacidade para atender a todos os segmentos englobados na lista de suprimento. Ponderou, no entanto, que essa demanda poderá ampliar a produtividade interna, e preparar as empresas brasileiras a concorrer de forma mais incisiva em licitações internacionais futuras.

“Isso não termina em 2016. O objetivo é deixar as empresas com mais musculatura, preparadas para enfrentar o mercado internacional”, comentou.

Linhas de crédito para as empresas que desejarem se fortalecer para fornecer para a Olimpíada serão disponibilizadas pelo banco Bradesco. De acordo com José Ramos Neto, diretor do departamento de Empréstimos e Financiamento da instituição financeira, as companhias terão à disposição linhas de curto e longo prazos, além de crédito para a aquisição de máquinas e equipamentos e apoio para prestação de garantia.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade