7 eventos ao vivo

Lucélia Ribeiro e Marcel Stürmer se ratificam como heróis pan-americanos

31 out 2011
07h05
atualizado em 8/12/2011 às 18h21

A karateca Lucélia Ribeiro e o patinador Marcel Stürmer nunca disputaram uma Olimpíada, já que ambos os esportes não fazem parte do programa do maior evento de esportes do mundo. No entanto, nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, a dupla brilhou e ratificou o nome na história da competição organizada pela Odepa. Ela subiu no lugar mais alto do pódio pela quarta vez consecutiva; ele, por outro lado, foi tricampeão.

Confira o quadro de medalhas
Assista aos vídeos do Pan de Guadalajara
Veja todos os ouros conquistados pelo Brasil
Escolha os vilões do Brasil no Pan

O ouro conquistado por Marcel Stürmer ficou marcado pela recuperação do patinador. Favorito absoluto a subir no lugar mais alto do pódio, o gaúcho passou por um problema grave antes de viajar para o México: todo o equipamento do atleta foi roubado em Porto Alegre. Sem patins e roupa, o competidor precisou viajar com a esperança de que novas vestimentas chegassem a tempo do início da competição.

Com patins novos, sem terem passado pelo processo de "amaciamento", Marcel recebeu uma roupa remendada e brilhou. Focado e concentrado somente na competição, o patinador brilhou ao interpretar o príncipe de Cisne Negro, no programa curto, e o agente James Bond, no programa longo. As exibições ratificaram a diferença técnica entre o brasileiro e os rivais no evento pan-americano. Ouro e tricampeonato. Entre as mulheres, Talitha Haas ficou com o bronze.

Da pista de patinação para a o karatê. Na arte marcial coreana, o Brasil também fez história em Guadalajara. Em uma luta emocionante contra a mexicana Yadira Lira, Lucélia Ribeiro, por decisão da arbitragem - muito contestada pela torcida - conquistou a medalha de ouro na categoria até 68 kg pela quarta vez consecutiva, tornando-se a primeira atleta da história do País a conquistar o tetracampeonato pan-americano.

Na modalidade, a atleta acabou sendo a única a subir no lugar mais alto do pódio. Wellington Barbosa, na categoria até 84 kg Douglas Brose, até 60 kg, Jessica Candido, 50 kg, e Valeria Kumizaki, até 55kg, terminaram o evento em Guadalajara com a medalha de bronze.

Além das vitórias de Marcel Stürmer e Lucélia Ribeiro, o Brasil também conseguiu destaque em modalidades pouco, ou nada, divulgadas no País. Por exemplo, Marcelo Giardi, conhecido como o "Marreco", conquistou a prata no wakeboard masculino. Já a equipe masculina de squash e o jogador de boliche Marcelo Suartz deixaram Guadalajara com a medalha de bronze.

Cuba perde hegemonia histórica no beisebol

Um fato histórico marcou o beisebol. A seleção de Cuba, então hegemônica há dez Jogos Pan-Americanos, perdeu para os Estados Unidos nas semifinais da edição de Guadalajara por 12 a 10 e fracassou pela primeira vez desde Winnipeg 1967, quando terminou com a medalha de prata, sendo derrotada justamente pelos americanos.

Escalada com a equipe principal em Guadalajara, Cuba amenizou o "vexame" com a medalha de bronze - venceu o anfitrião México por 6 a 0 na disputa pelo terceiro lugar. Já na disputa do ouro, outra surpresa, ainda maior, atingiu o público no México.

Credenciado ao papel de favorito depois de eliminar Cuba, os Estados Unidos acabaram com a prata por conta da surpreendente vitória do Canadá. A inacreditável vitória canadense por 2 a 1 fechou o evento de beisebol mais chocante da história dos Jogos Pan-Americanos.

Fonte: Terra
publicidade