0

Críticas abertas, treinos fechados e corte: Roth se desgasta

28 jul 2015
05h14
atualizado às 08h16
  • separator
  • comentários

O surpreendente corte do goleiro Martin Silva para o jogo contra o Corinthians, nesta quarta-feira, às 22h, na Arena Corinthians, foi o estopim para o desgaste da relação do técnico Celso Roth com boa parte do departamento de futebol do Vasco. Uma corrente da diretoria - não apenas do futebol - sugere até a saída dele em caso de derrota nova na quarta. Um outro grupo, porém, age com cautela e tenta dar sobrevida ao treinador seja qual for o resultado.

O estilo linha dura, por vezes até exagerado, de Roth deixou a relação dele estremecida com parte do elenco. O atacante Gilberto, por exemplo, deixou o clube muito por causa do desgaste com o treinador. Peça importante no Campeonato Carioca, o meia Julio dos Santos é outro que foi deixado de lado pelo técnico. Agora, é a vez de Martin Silva, antes visto como incontestável, ser barrado. O uruguaio, porém, deve voltar contra o Joinville, dia 9.

As constantes críticas abertas de Roth aos jogadores também não são bem vistas em São Januário. Não apenas pelos atletas, mas também por parte da diretoria. Desde que chegou, há pouco mais de um mês, o treinador não poupou alguns jogadores de crítica através da imprensa. Martin Silva, Aislan, Gilberto e até o físico de Jhon Cley foram alvos de reclamações. Há quem considere que isso deve ser resolvido internamente.

O técnico também é o responsável pelos treinamentos fechados do Vasco , algo que já virou normalidade em São Januário. A última atividade aberta no Rio de Janeiro foi no dia 6, há três semanas. Muitas vezes, Roth pede para fechar o treino, mas comanda apenas um trabalho regenerativo ou um rachão. 

O dilema da diretoria é se vale a pena mantê-lo ou se é melhor buscar uma nova alternativa no mercado enquanto há tempo. Afinal, o Campeonato Brasileiro está quase na metade. Como depois da partida contra o Corinthians o Vasco ficará dez dias sem jogar, há quem acredite que já é hora de pensar em uma mudança.

Antes de assumir o Vasco, Roth estava sem clube há quase um ano. O último trabalho havia sido pelo Coritiba, quando foi demitido após somar apenas 15 pontos em 17 rodadas no Brasileiro. Na ocasião, a diretoria optou por demitir o treinador e repatriar Marquinhos Santos, que acabou livrando a equipe do rebaixamento.

Em 2007, na primeira passagem pelo Cruz-Maltino, Celso Roth começou bem o Brasileiro, chegou a estar entre os quatro primeiros, mas se desgastou com o elenco por alguns motivos até semelhantes e, após uma sequência de maus resultados, foi demitido, algo que o presidente Eurico Miranda não costuma fazer.

 

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade