1 evento ao vivo

Em nota oficial, BNDES nega atrasos em repasses a canoístas brasileiros

4 set 2015
20h56
  • separator
  • comentários

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social se posicionou sobre a cobrança de alguns atletas da canoagem, que alegaram a falta de repasse das verbas de patrocínio pela Confederação Brasileiras de Canoagem (CBCa). A entidade manteve o mesmo discurso da confederação e garantiu que os canoístas não estão com seus vencimentos atrasados.

Confira na íntegra a nota oficial enviada pelo banco ao LANCE!Net:

"Não há, ao contrário do que alegaram alguns atletas da equipe brasileira de Canoagem hoje, no Rio de Janeiro, nenhum atraso no pagamento de suas remunerações. Acordo firmado entre a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) e o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) permitiu que não houvesse nenhuma interrupção do programa de treinamentos destes atletas — nem quanto ao pagamento de bolsas-auxílio, que está absolutamente em dia, nem quanto às condições de treinamento — enquanto um projeto específico para os atletas de canoa estava em tramitação no Ministério do Esporte e no BNDES.

Atendendo a um pedido do treinador da equipe de Canoa, o BNDES acolheu um projeto para que os atletas dessa modalidade fiquem concentrados em Lagoa Santa (MG), separados dos atletas de Velocidade. O projeto teve sua tramitação prolongada no Banco em razão de atraso na liberação de licença ambiental e autorização de uso por parte da municipalidade de Lagoa Santa. No período da tramitação, o mencionado acordo entre a CBCa e o COB assegurou que o pagamento dos benefícios aos atletas fosse mantido na mais absoluta normalidade, sem atraso ou redução.

Neste momento, o projeto está aprovado, contratado, e os recursos disponíveis para aplicação nas despesas previstas, inclusive o pagamento de bolsas. Os atletas já têm em mãos o contrato de que precisam para firmar o recebimento de auxílio pelos próximos doze meses.

O BNDES é o patrocinador oficial da canoagem brasileira desde 2011, e apoia projetos aprovados no âmbito da Lei de Incentivo ao Esporte. Entre as iniciativas apoiadas pelo Banco, estão as equipes permanentes de Canoagem Slalom, em Foz do Iguaçu (PR); Canoagem Velocidade, em Curitiba (PR); Paracanoagem, em São Paulo (SP); e Canoa, em Lagoa Santa (MG).

Nestes últimos quatro anos, a modalidade conseguiu importantes conquistas e tem sido reconhecida, inclusive internacionalmente. No Campeonato Mundial de Canoagem e Paracanoagem, disputado em Milão, em agosto, o Instituto da Federação de Canoa e Caiaque da Itália premiou a CBCa com o Prêmio de Crédito Esportivo, voltado para o estímulo ao esporte em países em desenvolvimento. A premiação foi concedida pela crescente evolução da canoagem brasileira na competição: o Brasil foi o maior pontuador dentre os integrantes do G-20 no Mundial."

Na manhã desta sexta-feira, Isaquias Queiroz, Nivalter Santos, Erlon Silva e Ronilson Oliveira se recusaram a participar do evento-teste para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, por dois motivos: o atraso no pagamento de salários e as condições de hospedagem na Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx), onde ficaram ao longo da semana na capital carioca.

Os atletas afirmaram que estão sem receber salários do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES) há oito meses. A remuneração chega aos competidores por intermédio da Confederação, e eles já haviam informado à entidade que não competiriam no Rio caso os valores não fossem quitados.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) e o Comitê Organizador dos Jogos Rio-2016 também se manifestaram. Confira:

COB
“O papel do COB é o de conciliador e o de garantir as condições necessárias para o treinamento e preparação dos atletas”

......................

Comitê Rio-2016
“Isso não atrapalha o evento. Estamos testando a qualidade das instalações, e não da competição”

Lance!
  • separator
  • comentários
publicidade