PUBLICIDADE

Presidente recua após ameaçar acabar com futebol do Guarani

24 jun 2015 19h14
| atualizado às 21h40
ver comentários
Publicidade

Enfrentando sérias dificuldades financeiras e dependendo de um parecer da Justiça do Trabalho favorável ao clube para garantir a verba do leilão do estádio Brinco de Ouro (R$ 105 milhões), o presidente do Guarani, Horley Sena, afirmou que o clube pretende fechar as portas já nesta sexta-feira, o que acarretaria no abandono da Série C do Campeonato Brasileiro. Após a grande repercussão da notícia, divulgada pelo LANCE!, o dirigente, que havia confirmado inclusive o fim do futebol, recuou e diz que, por enquanto, a equipe seguirá jogando. A ideia é fechar a sede social.

Sem pagar inclusive a conta de luz da sede, o Bugre teve seus patrocinadores notificados pela Justiça e, dessa forma, não deve renovar as parcerias. Sem novos interessados em divulgar sua marca através do Guarani, o clube luta contra o tempo para se manter.

Guarani perdeu a úitima partida diante do Comercial de Ribeirão Preto
Guarani perdeu a úitima partida diante do Comercial de Ribeirão Preto
Foto: Site Oficial do Guarani

"Estamos aguardando uma decisão da Justiça do Trabalho. Queremos fechar as portas já nesta sexta-feira. A luz está para ser cortada, não temos dinheiro nem para comprar comida para o refeitório. Não temos mais por onde buscar recursos", disse o mandatário bugrino, ao LANCE!, no primeiro contato, deixando claro que a ideia seria abandonar a Série C.

"Por enquanto, vamos manter o futebol, mas não temos dinheiro para água, luz, telefone e funcionários", afirmou Sena, horas depois.

Respirando por aparelhos nos últimos meses, Sena admitiu que ele e mais alguns conselheiros têm colocado dinheiro do próprio bolso no clube, mas agora o poço secou. Se abandonar a disputa da Série C - o time tem três empates e uma derrota em quatro rodadas - há implicações desportivas.

De acordo com o regulamento da CBF, o clube que deixar a competição ficará automaticamente suspenso por dois anos de qualquer competição organizada pela entidade, e os resultados até então conquistados serão considerados 'sem efeito', ou seja, é como se a partida não tivesse acontecido. O próximo duelo do Bugre na competição está marcada para este sábado, às 11h, contra o Tombense, fora de casa. 

A esperança de se manter até que saia a aguardada decisão da Justiça do Trabalho passa diretamente pelo investimento de algum patrocinador, mas que, até o momento, não apareceu.

"Nem que seja apenas na manga da camiseta, (patrocínio) nos ajudaria a respirar por mais dois ou três meses, que é o tempo para a decisão da Justiça sair. Com certeza a decisão será favorável ao Guarani, não tenho dúvidas, mas até lá estamos zerados", completou Sena.

Lance!
Publicidade
Publicidade