1 evento ao vivo

Santa Fe, o primeiro time colombiano campeão da Sul-Americana

Vitória, num el Campín quase lotado, veio nos pênaltis, após dois jogos e uma prorrogação sem gol.  Apesar da derrota, o Huracán, assim como o Santa Fe, estão na Liberta-2016

10 dez 2015
01h44
atualizado às 08h45
  • separator
  • comentários

O Independiente Santa Fe conquistou a Copa Sul-Americana, vencendo o Huracán, por 3 a 1, nos pênaltis, após 120 minutos de raro futebol e placar em 0 a 0. Foi o primeiro título da Colômbia na história da competição. Um castigo para os argentinos, que jamais quiseram ganhar com bola rolando. Uma defesa de Zapata, e dois chutes no travessão, nas cobranças decisivas, eliminaram os visitantes.

Como era previsível, o time colombiano começou no ataque, incentivado pela torcida, e o adversário recuado, tentando acertar um contra-ataque. E os argentinos desperdiçaram grande oportunidade com um minuto de bola rolando, numa trapalhada de Zapata, que chutou a bola nos pés de Ábila, que tocou por cima, para fora. Aliás, a defesa do Santa Fe dava a impressão de sentir o peso da decisão, errando passes em sequência, embora o Huracán não conseguisse aproveitar as falhas, pois demorava demais para chegar na frente.

Mas o fato é que os times pareceram em muitos momentos mais preocupados em dar pancada. No entanto, o árbitro brasileiro Heber Roberto Lopes, curiosamente, não mostrava cartões. No conjunto da obra, o 0 a 0 lógico do primeiro tempo.

No intervalo, Ângulo, machucado, foi substituído por Borja. E o jogo continuou como estava: a equipe da Colômbia com a posse da bola, procurando espaços no campo dos argentinos, que regressaram mais cautelosos. A maior dificuldade do Santa Fe era concluir. O time costurava e não criava chances.

Aos 23, o goleiro Diaz tombou e permaneceu cinco minutos estirado no gramado. Haja cera. Na sequência, o treinador Gerardo Pelusso trocou Gordillo pelo veterano e grande ídolo Omar Perez. E Eduardo Domínguez lançou Distéfano na vaga de Montenegro. Quem sabe ele não honraria o nome? No entanto, nada mudou. O Huracán fazia de tudo para cadenciar o jogo. E o adversário, nervoso, esbarrava com facilidade na retranca argentina. Aos 38, numa rara ocasião de ação ofensiva do time argentino, Bogado bateu de longe e quase acerta o cantinho direito de Zapata. Aos 45, Yerry Mina cabeceou à esquerda de Diaz. E Héber esticou a partida por mais cinco minutos. Inútil. A incapacidade geral levou a decisão para a prorrogação.

De novo, na primeira etapa, a substituição de Espinoza por Torassa, pois a partida se arrastava, tensa, mas sem nada que pudesse emocionar. Faltava sobretudo ousadia. Aos 11 da etapa final do tempo extra, Ábila agrediu Mina com um soco no estômago e recebeu o cartão vermelho. Restavam os pênaltis. E deu Santa Fe.
O time colombiano assegurou a sua vaga na Libertadores-2016. O Huracán, ao menos volta para casa com a vaga para a Liberta assegurada, pois foi o melhor argentino na Sul-Americana. 

FICHA TÉCNICA
SANTA FE (COL) 0 x 0 HURACÁN (ARG) - 3 x 1 nos pênaltis
FINAL DA COPA SUL-AMERICANA-2015
Data e horário - 9/12/2015, às 22h (de Brasília)
Local: El Campín, Bogotá (COL)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (BRA-Fifa)
Auxiliares: Kleber Gil e Bruno Boschilia (BRA-Fifa)
Cartões  Amarelos: Seijas (STA) e Espinoza (HUR)
Cartão Vermelho: Ábila (HUR), 12'/2ºT da prorrogação
GOL: -
Nos pênaltis: Para o Santa Fe - Marcaram: Omar Pérez,  Seijas e Balanta. Para o Huracán - Marcou: Mancinelli; perderam:  Bogado, Nervo e Toranzo.

SANTA FE: Zapata; Anchico (Otalvaro, 2'/2ºT da prorrogação), Mina, Meza e Balanta; Perlaza, Gordillo (Omar Pérez, 25'/2ºT), Roa e Seijas; Morelo e Angulo (Borja, intervalo). TÉCNICO: Gerardo Pelusso

HURACÁN: Marcos Díaz; San Román, Nervo, Mancinelli e Balbi; Vismara e Bogado; Toranzo, Montenegro (Distefano, 32'/2ºT) e Espinoza (Torassa, 6'/1T da prorrogação) depois, (Arano, 15'/2ºT da prorrogação); Ábila. TÉCNICO: Eduardo Domínguez


OS CAMPEÕES (e vices) DA COPA SUL-AMERICANA

2002 - San Lorenzo/ARG (Atlético Nacional/COL)
2003 - Cienciano/PER (River Plate/ARG)
2004 - Boca Juniors/ARG (Bolívar/BOL)
2005 - Boca Juniors/ARG (PUmas/MEX)
2006 - Pachuca/MEX (Colo Colo/CHI)
2007 - Arsenal/ARG (América/MEX)
2008 - Internacional (Estudiantes/ARG)
2009 - LDU/EQU (Fluminense)
2010 - Independiente/ARG (Goiás)
2011 - Universidad de Chile (LDU)
2012 - São Paulo (Tigre/ARG)
2013 - Lanús/ARG (Ponte Preta)
2014 - River Plate/ARG (Atlético Nacional/COL)
2015 - Santa Fe/COL (Huracán/ARG)

Títulos por país
Argentina - 7
Brasil - 2
Peru, México, Equador, Chile e Colômbia - 1


Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade