0

Cuba complica, feminino decepciona, mas judô fecha Pan com recorde

31 out 2011
10h05

O judô brasileiro fecha os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara com o recorde de medalhas de ouro em uma só edição: seis. Todos eles, no entanto, foram conquistados por homens, já que as mulheres ficaram devendo, muito por conta do desempenho de Cuba. O país caribenho foi a principal pedra no sapato brasileiro nos tatames, um aviso para o que pode acontecer em Londres, em 2012.

Confira o quadro de medalhas
Assista aos vídeos do Pan de Guadalajara
Veja todos os ouros conquistados pelo Brasil
Escolha os vilões do Brasil no Pan

Subiram ao lugar mais alto do pódio Felipe Kitadai (60kg), Leandro Cunha (66kg), Bruno Mendonça (73kg), Leandro Guilheiro (81kg), Tiago Camilo (90kg) e Luciano Corrêa (100kg). O único que perdeu a final foi Rafael "Baby" Silva, derrotado justamente por um cubano: Oscar Brayson. No feminino, os atletas de Cuba também impediram um ouro que parecia quase certo: o de Rafaela Silva.

A judoca Yurisleidys Lupetey derrotou a favorita da categoria peso leve (-57 kg), resultado que irritou a técnica Rosicleia Campos. "Muito ruim, aquém das expectativas. Não devemos nada para ninguém. A competição apenas provou que temos muito a crescer, as atletas estão apuradas. Faltou um pouco de postura, elas respeitaram as adversárias demais, especialmente a Rafaela", disse, ao comentar o desempenho.

O único representante do Brasil a ficar sem medalha em Guadalajara é mulher: Katherine Campos. Erika Miranda (52kg) e Rafaela Silva (-57 kg) ganharam medalha de prata, enquanto, Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg), Maria Suelen Altheman (+78kg) e Sarah Menezes (48kg), outra a ser derrotada por uma atleta de Cuba - Dayaris Rosa - terminaram com o bronze. Assim, a Seleção Brasileira soma 13 medalhas, contra 12 dos arquirrivais caribenhos.

"Os Jogos Pan-Americanos foram um excelente laboratório para este ambiente de Vila e assédio que os atletas vão encontrar na Olimpíada de Londres 2012. Sobre o feminino, acredito que temos uma equipe para fazer um resultado melhor do que foi apresentado aqui em Guadalajara, mas não é fácil atingir dois picos de rendimento no mesmo ano", analisou Ney Wilson, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

O balanço da participação brasileira em Guadalajara, portanto, é positivo. Os seis ouros conquistados superam o desempenho apresentado nos Pans de Indianápolis, em 1987, e Santo Domingo, em 2003, quando foram cinco conquistas.

Fonte: Terra
publicidade