4 eventos ao vivo

Seleção de judô vive clima do Mundial nos treinos em São Paulo

12 ago 2010
15h59
atualizado às 17h20

A Seleção Brasileira de judô está reunida em São Paulo, onde participa dos últimos treinamentos visando ao Campeonato Mundial Sênior, de 9 a 13 de setembro, no Japão. O embarque dos 17 atletas será no próximo dia 28 de agosto e a aclimatação será feita em Tóquio, com treinos diários na tradicional universidade Kodokan.

Flávio Canto (ao centro) é um dos judocas concentrados em São Paulo para o Mundial
Flávio Canto (ao centro) é um dos judocas concentrados em São Paulo para o Mundial
Foto: Divulgação

Na capital paulista, a equipe já sente o clima da competição mais importante do ano. "Já ficamos mais juntos, com uma energia boa. Esse encontro antes do embarque é bom para nós", avaliou Tiago Camilo, campeão mundial em 2007 entre os meio-médios.

Dono de duas medalhas olímpicas (prata em Sydney 2000 e bronze em Pequim 2008), Camilo preferiu não projetar o próprio desempenho. "Não prevejo resultado. Gosto de competir e de dar ippon. Vou lutar para me sentir bem e dar meu melhor. O resto é consequencia", sentenciou.

Prestes a disputar seu primeiro Mundial Sênior, Hugo Pessanha garante não estar ansioso. O judoca carioca competirá na mesma categoria de Camilo, uma vez que o novo regulamento da Federação Internacional de Judô permite a cada país ter até dois atletas por peso.

"A ansiedade não é tão grande porque estamos habituados a competir no circuito mundial, que reúne os mesmos atletas. Mas é claro que o fato de ser no Japão, berço do judô mundial, faz da competição algo especial", diz Pessanha, que também aprova o contato com seus companheiros de equipe antes do embarque. "É um clima muito positivo, em que todos têm o mesmo objetivo e querem o melhor no treino", continua.

Com dois representantes em três das 14 categorias, o Brasil levará um recorde de 17 judocas ao Mundial do Japão. A Seleção Brasileira no Mundial de Tóquio terá: Felipe Kitadai (60kg), Leandro Cunha (66kg), Bruno Mendonça (73kg), Leandro Guilheiro (81kg), Flávio Canto (81kg), Tiago Camilo (90kg), Hugo Pessanha (90kg), Luciano Correa (100kg), Walter Santos (+100kg), Rafael Silva (+100kg), Sarah Menezes (48kg), Erika Miranda (52kg), Rafaela Silva (57kg), Mariana Silva (63kg), Maria Portela (70kg), Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suellen Altheman (+78kg).

"Da mesma forma que o Brasil está levando dois judocas em algumas categorias, o mesmo acontece com times fortes como Japão, Rússia, Coreia... Vai ser um Mundial muito forte", avalia o técnico da equipe masculina, Luiz Shinohara.

Outro grande medalhista olímpico sabe da quantidade e qualidade dos adversários que terá pela frente. "Vai ser o Mundial mais cheio e disputado da história", prevê Flávio Canto, que volta a disputar um Mundial depois de sua última participação em 2003. "Fico feliz de poder viajar com o Leandro Guilheiro (também no meio-médio), meu grande amigo. Vamos torcer sempre um pelo outro, a não ser se estiver lutando contra", completa Canto.

Quem sabe que não terá vida fácil é a ligeiro Sarah Menezes. Em sua categoria, há nada menos do que cinco japonesas entre as dez melhores do mundo. "O Japão aproveitou bem a mudança de regras e está se destacando. Mas estou pronta para buscar meu espaço", afirma ela, garantindo não se importar com a torcida que certamente lotará o ginásio para incentivar os japoneses. "Sou bastante concentrada e só ouço a voz do técnico quando estou lutando", diz a piauiense.

Esse será o primeiro Campeonato Mundial já valendo pontos para o ranking de classificação olímpica (ouro 500 pontos, prata 300 pontos, bronze 200 pontos, quinto lugar 100 pontos, sétimo lugar 80 pontos). Se a Olimíada de Londres fosse hoje, todos os atletas convocados para Tóquio estariam dentro do índice determinado (entre as 13 melhores no feminino e os 22 melhores do mundo no masculino, em alguns casos, levando em consideração os descartes). Diferentemente dos anos anteriores, a vaga para Londres 2012 é do atleta, e não mais do país.

O Brasil soma 19 medalhas em Campeonatos Mundiais Sênior de Judô: quatro ouros, duas pratas e 13 bronzes. Nas duas últimas vezes em que a competição foi disputada no berço do judô mundial, o Brasil subiu ao pódio: bronze em Osaka 2003 com Mario Sabino, Carlos Honorato e Edinanci Silva e bronze em Tóquio 1995 com Danielle Zangrando.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade