0

Mais de 2,3 milhões de ingressos foram solicitados para Copa de 2014

21 ago 2013
15h46
atualizado às 15h56

Após apenas 24 horas de venda, torcedores já solicitaram mais de 2,3 milhões de ingressos para a Copa do Mundo de 2014, dos quais 1,9 milhão de pedidos são do Brasil, informou a Fifa nesta quarta-feira.

A partida mais procurada até o momento é o jogo de abertura, em São Paulo, com a presença da seleção brasileira. Foram solicitadas mais de 372 mil entradas para o jogo no estádio que está sendo construído pelo Corinthians.

"Poderíamos disputar esse jogo cinco vezes com base na busca pelos ingressos", disse o diretor de marketing da Fifa, Thierry Weil, a jornalistas.

A final, que será disputada no Maracanã, é o segundo jogo mais procurado, com 340 mil solicitações.

A maior parte das solicitações foi feita na categoria 4, a mais barata e de venda exclusiva para brasileiros. Cerca de dois terços das solicitações foram feitas nessa categoria.

Entre os países, a Argentina vem em segundo lugar no número de solicitações, com 200 mil ingressos pedidos, apesar de ainda não se saber onde a equipe jogará. Os EUA estão em terceiro, com 50 mil tíquetes pedidos.

Apenas a seleção brasileira, como anfitriã, já sabe onde disputará os três jogos da primeira fase do Mundial: São Paulo, Brasília e Fortaleza. O sorteio dos jogos ocorrerá em dezembro, na Bahia.

A primeira fase de venda de ingressos, que começou às 7h de terça-feira, vai até 10 de outubro, e os torcedores não precisam correr, já que haverá sorteio em caso de excesso de demanda, com igualdade de chances entre os pedidos.

A solicitação de ingressos ocorre pelo site da Fifa, e existe um limite de quatro ingressos por jogo para um universo de até sete partidas para cada solicitante.

Os ingressos mais baratos para a Copa custam 30 reais, numa categoria exclusiva para estudantes, idosos e beneficiários do Programa Bolsa Família, apenas para jogos da primeira fase da competição, enquanto a entrada mais cara para brasileiros custa 1.980 reais, para a final no Maracanã.

(Reportagem de Pedro Fonseca)

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade