3 eventos ao vivo

Medina quer título para compensar frustração nacional com a Copa

24 out 2014
12h41
atualizado às 13h29

O brasileiro Gabriel Medina perdeu a primeira oportunidade, mas ainda tem boas chances de conquistar o título do Circuito Mundial de surfe. Com apenas 20 anos e uma amizade com Neymar, o paulista quer se tornar o primeiro atleta do País a atingir o feito para compensar a frustração nacional pela eliminação na Copa do Mundo de futebol.

Líder do ranking mundial, Medina poderia ter conquistado o WCT já na última semana, quando foi realizada a etapa do Peniche, em Portugal, do circuito. O brasileiro, no entanto, foi eliminado de forma precoce na terceira rodada do evento. Kelly Slater, então segundo colocado do ano, caiu na mesma fase do torneio. Mas o australiano Mick Fanning se sagrou campeão e assumiu a vice-liderança do ranking.

A etapa final do WCT será disputada na praia de Pipeline, no Havaí, onde no último ano Kelly Slater foi o campeão e Mick Fanning acabou com a terceira colocação. Para ser campeão sem depender dos resultados dos adversários, Medina precisa chegar à final do evento, fato inédito em sua carreira.

"Acompanho os outros esportes e infelizmente não deu para o Brasil este ano. A gente ainda tem uma esperança. Quero esse título para o meu País porque tem muita gente torcendo. Vejo nas redes sociais todo o mundo mandando mensagem e isso nunca aconteceu com o surfe. É uma oportunidade que não quero deixar escapar", disse Medina.

A eliminação da Seleção Brasileira na semifinal da Copa do Mundo disputada no Brasil ocorreu diante da Alemanha, no primeiro jogo da equipe nacional sem Neymar. O atacante do Barcelona, amigo de Medina, sofreu uma grave contusão na partida de quartas de final contra a Colômbia e não jogou contra a Alemanha, nem contra a Holanda na disputa de terceiro lugar. O Brasil foi derrotado nos dois jogos.

O surfista brasileiro lidera o ranking do Circuito Mundial com 56.550 pontos, com 3.450 de vantagem sobre o australiano Mick Fanning, atual campeão do WCT. O norte-americano Kelly Slater, recordista histórico de títulos com 11 conquistas, ocupa a terceira colocação, com 50.050 pontos.

A temporada do WCT é composta por 11 etapas e os nove melhores resultados de cada surfista são contabilizados para a elaboração do ranking. Medina venceu três etapas este ano: em Gold Coast, na Austrália, em Fiji e na famosa praia de Teahupoo, no Taiti.

"Tenho contato com vários caras como o Neymar e outras celebridades e eles torcem por mim. Isso nunca aconteceu com o surfe. O esporte vem crescendo na mídia e agora quando vou à praia parece um estádio com o tanto de gente me apoiando. Isso é novo para a gente. Se tudo der certo o surfe ainda vai crescer bastante", disse.

A etapa final do Circuito Mundial de surfe será disputada entre os dias 8 e 20 de dezembro na praia de Pipeline, no Havaí. O surfista paulista, que retornou ao País nesta sexta-feira após quase seis meses no exterior, passa duas semanas no Brasil, onde atende patrocinadores e disputa um evento do WQS em Maresias, e depois já embarca para o local onde pode se sagrar o primeiro brasileiro campeão mundial.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade