2 eventos ao vivo

Após derrota, Silas diz que Náutico evoluiu e elogia disposição tática

22 abr 2013
00h17
atualizado às 00h18
  • separator
  • 0
  • comentários

Ex-jogador do São Paulo, Silas assumiu o cargo de treinador do Náutico em um momento complicado. No seu primeiro jogo, o time foi eliminado da Copa do Brasil; na segunda, sofreu uma derrota para o Santa Cruz pelas semifinais do Campeonato Pernambucano. Mesmo assim, ele acredita que o grupo já começou a dar uma reviravolta.

“A tristeza é pelo resultado, mas só pelo resultado, não pelo desempenho - que hoje foi muito bom. Principalmente na parte tática, eles cumpriram quase que à perfeição aquilo que a gente pediu depois de ter feito um treinamento só. E eu não podia arriscar muito hoje aqui. Então eu acho que, assim como eu, o torcedor foi embora triste com o gosto amargo de derrota, mas com a esperança de que no (próximo) domingo a gente pode repetir uma atuação como essa e ganhar o jogo lá”, afirmou na coletiva ainda no Estádio do Arruda.

O treinador lembrou o desgaste físico após jogar e ser eliminado da Copa do Brasil pelo Crac-GO na última quinta-feira. Além disso, mencionou que a sequência pesada de partidas fez com que ele não conseguisse contar com atletas como Elicarlos, Auremi, contribuindo para a saída de Martinez e Josa, durante a semifinal.

“Agora a gente tem uma semana cheia, igual ao Santa Cruz, para trabalhar, descansar e vamos continuar com o trabalhinho tático. E vamos ver as modificações que a gente pode fazer em função do resultado que agora temos de correr atrás, então de repente tem de ser um pouco mais ofensivo já de início”, admite.

“Meu pedido é para que eles encham aquilo lá, porque já joguei aqui contra o Náutico e sei como é jogar com uma torcida daquelas atrás empurrando o time”, convidou o treinador, lembrando que o time deixou para trás “aquela inhaca” e a tristeza que estava se instalando no elenco.

Apesar de ter perdido Martinez depois de uma falta dura do volante Luciano Sorriso, do Santa Cruz, Silas elogiou a atuação do trio de arbitragem. E não deixou de brincar com o regulamento, que permite que a vaga seja decidida por número de cartões, no caso de dois resultados iguais. Ele lembrou que o árbitro deu apenas um amarelo para cada time e brincou: “ficou empatado, então nosso torcedor é que vai ajudar o árbitro no próximo jogo”.

Fonte: Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade