inclusão de arquivo javascript

Esportes

 
 

Após "correr muito", boxeador inicia vida em São Caetano

02 de agosto de 2007 09h36 atualizado em 09 de agosto de 2007 às 16h55

O jogador cubano de handebol Rafael Capote, que fugiu da Vila Pan-Americana para iniciar uma nova vida no Brasil, diz estar pronto para o desafio. Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, o atleta contou que precisou correr muito durante a sua fuga do Rio de Janeiro até a cidade São Caetano do Sul.

» Varejão e Baby poderiam ficar fora do Pré-Olímpico

"Fugi por debaixo de uma cerca. E corri. Corri muito", afirmou Capote, que recebeu a ajuda de um antigo companheiro de seleção, o goleiro Michel, que a exemplo dele deixou Cuba para jogar no Brasil.

"Fazia algum tempo que eu pensava em vir para o Brasil. Conversava com o Michel pela Internet sobre a possibilidade de jogar aqui. Ele falou que não tinha problema e que iria me ajudar", completou.

Capote contou que durante uma noite chuvosa aproveitou o descanso dos seguranças cubanos em seus quartos e iniciou a fuga. O jogador correu da Vila Pan-Americana até a rodoviária da cidade, onde foi aconselhado a pegar um táxi.

Capote chegou à casa do amigo durante a manhã do dia seguinte. Com a polêmica em torno de seu abandono, ele recebeu a ajuda dos jogadores do São Caetano e se refugiou em Itapira, cidade do interior de São Paulo.

De volta à cidade do ABC, o cubano foi acolhido pelo clube Imes-Santa Maria/São Caetano e já treina enquanto espera a regularização dos documentos.

"Podia seguir em Cuba. Mas sei que tenho talento para jogar aqui no Brasil ou na Europa. Posso melhorar de vida em outro país", afirmou.

Redação Terra