inclusão de arquivo javascript

Esportes

 
 

Jogador do São Caetano morre após parada cardíaca

27 de outubro de 2004 21h55 atualizado às 21h55

O zagueiro Serginho, do São Caetano, morreu nesta quarta-feira, após uma parada cardiorrespiratória aos 14min do segundo tempo da partida contra o São Paulo, no Morumbi.

  • Confira em vídeo as imagens da morte de Serginho
  • Veja galeria de fotos
  • Confira como foi o drama de Serginho
  • Preste sua homenagem a Serginho

    O atleta foi levado para o hospital São Luiz, perto do estádio do Morumbi, e morreu às 22h45, segundo boletim médico divulgado nesta noite.

    Os médicos das duas equipes entraram em campo após a queda de Serginho, 30 anos, e iniciaram respiração boca-a-boca e massagem cardíaca no atleta.

    Após três minutos caído no gramado, a maca entrou em campo, mas os jogadores dos dois times pediam que a ambulância fosse usada. O motorista, porém, não estava a postos.

    Após alguns momentos de indefinição, o carro da maca levou o zagueiro para a ambulância. O zagueiro recebeu tratamento no próprio estádio. Após 15 minutos, Serginho foi levado para o hospital.

    Desesperados, os jogadores choraram em campo e, junto com o trio de arbitragem, rezaram no meio de campo.

    O goleiro Silvio Luiz, em depoimento dado ainda dentro de campo, revelou que exames realizados recentemente haviam mostrado que o zagueiro tinha um problema no coração, mas nem mesmo o companheiro de clube sabia ao certo o que era.

    "A gente sabia o que estava acontecendo, ele havia feito alguns exames e indicou uma 'coisa' lá. Mas as chances de acontecer alguma coisa era de 1%. Infelizmente aconteceu", disse o emocionado goleiro, que assim como outros jogadores, chorava em campo.

    O árbitro Cléber Wellington Abade encerrou a partida. "Conversei com os capitães das duas equipes. Eles não tinham condições de jogar".

    "Não tinha condições de continuar. Que a gente perca os pontos, que marque outra data. Mas os jogadores deles também não tem nenhuma condição. Não tem como continuar. O próprio Leão disse que os dois times não têm mais condições de continuar na partida", explicou o goleiro.

    O caso é o mais recente de mortes de jogadores de futebol em gramados. No dia 26 de junho de 2003, o camaronês Marc-Vivien Foé morreu depois de cair em campo num jogo de sua seleção na Copa das Confederações.

    Neste ano, o húngaro Miklos Fehér também morreu, depois de um ataque do coração. Ele estava em campo pelo Benfica e morreu durante partida do Campeonato Português.

    Serginho começou a carreira no Patrocinense, de Minas Gerais, em 95, e teve passagens pelo Social-MG, Democrata-MG, Mogi Mirim, Ipatinga e Araçatuba.

  • Redação Terra