inclusão de arquivo javascript

Esportes

 
 

Maradona reafirma que Branco tomou água "batizada"

01 de março de 2005 16h02

Diego Maradona confirmou novamente nesta terça-feira que deram água com sonífero para o lateral Branco no jogo das oitavas-de-final da Copa de 1990 entre Brasil e Argentina.

"Branco não me cumprimentou mais" depois de beber daquela garrafa, disse Maradona no programa de televisão Mar de Fondo, do canal a cabo ,i>TyC Sports, de Buenos Aires.

Maradona contou o caso em 16 de dezembro de 2004 no mesmo programa. Pouco depois, vários jogadores da seleção negaram a denúncia, exceto José Basualdo, que confirmou as declarações de Maradona e disse que Bilardo "é capaz de fazer coisas insólitas".

Bilardo comentou após as primeiras declarações de Maradona que "algo ocorreu" durante esse jogo entre Argentina e Brasil, mas não informou o quê.

No entanto, Maradona voltou a comentar o assunto nesta terça. "Eu não desminto nada. Não menti em nada. Eu fico com Basualdo, os outros que banquem os idiotas", disse Maradona no programa de televisão.

O ex-jogador afirmou que jamais ofereceu água a Branco e opinou que o ex-jogador não deveria continuar falando sobre o assunto "porque a cada dia fica mais chato".

Basualdo contou ao semanário argentino Ventitrés, em fevereiro passado, que "a história foi essa mesma".

"Nós percebemos no momento, quando íamos beber água. Na hora em que um jogador se contundiu nos aproximamos e Galíndez (Miguel Di Lorenzo, o massagista argentino) se encarregou de nos dar as garrafas", lembrou Basualdo, que atualmente é técnico do Universitario, do Peru.

"Foi aí que nos demos conta que tinham jogado uma substância na água e Branco foi o encarregado de levar a garrafa. Justo ele, que cobrava as faltas", acrescentou.

Depois desta declaração, Bilardo ameaçou divulgar um vídeo de Basualdo traindo sua mulher, em 1996. "Isso poderia acabar com a minha carreira", diz Branco

O ex-jogador Branco afirmou nesta terça-feira que a "brincadeirinha" da água com sonífero, da qual foi vítima durante a vitória por 1 a 0 da Argentina sobre o Brasil, pelas oitavas-de-final da Copa de 90, podia ter acabado com sua carreira esportiva.

"Imagina se depois desse jogo me convocam para um exame antidoping? O que teria sido de mim? Como teria explicado a presença dessa substância em meu organismo?", perguntou o ex-jogador em entrevista à EFE.

O lateral-esquerdo, que disputou os Mundiais de 1990 e 1994 pela Seleção Brasileira, reiterou estar incomodado com o ocorrido na cidade italiana de Turim, episódio que hoje Maradona voltou a tratar com ironia.

O brasileiro voltou a dizer que devem ser aplicadas punições exemplares para os responsáveis por esta brincadeira, a começar pelo técnico argentino à época, Carlos Bilardo.

Branco, que hoje em dia é coordenador das categorias de base do Brasil, ficou se sentindo mal depois de beber água de uma vasilha que o massagista da seleção argentina Miguel Di Lorenzo lhe ofereceu enquanto atendia um jogador lesionado.

"O que fizeram foi irresponsável, nada profissional e pode ter conseqüências terríveis", ressaltou Branco.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.