0

Após "rebolation" de Armero, Palmeiras quer dança sincronizada

15 mar 2010
15h27
atualizado às 16h44

O Palmeiras caiu na moda da dança na vitória por 4 a 3 deste domingo, contra o Santos, na Vila Belmiro. Na comemoração dos gols, os jogadores do time alviverde tiraram um sarro dos santistas e não tiveram vergonha em arriscar alguns passos que ainda precisam ser mais treinados.

A dança que ficou na memória de todos que acompanharam o confronto saiu logo após o segundo gol palmeirense. O mais empolgado na coreografia era o lateral Armero. Fã de salsa e reggaeton, ritmos famosos na Colômbia, ele misturou passos desordenados do É o Tchan e Rebolation, enquanto Robert, Ewerthon e Diego Souza foram mais contidos.

"Pois é, cada um dançou em um ritmo", disse o meia Diego Souza, ao ser questionado na manhã desta segunda sobre a mistura de rebolados do clube de Palestra Itália.

Na "briga" das comemorações com os santistas, a frase "quem ri por último, ri melhor" caiu de forma perfeita para o Palmeiras. Depois de se irritar com as danças promovidas pelo adversário nos primeiros gols, os palmeirenses deixaram a Vila com a sensação de que haviam conquistado um título pessoal.

Quando o Palmeiras estava atrás no marcador, Diego Souza ficou perto de perder a cabeça. O camisa 7 quase foi expulso ao discutir com o lateral Pará no fim do primeiro tempo. Mas, ao marcar o terceiro gol da equipe alviverde, ele mostrou seu rebolado com os companheiros.

"A dança foi em um momento de comemoração, não quisemos ofender ninguém. Dançamos porque estávamos felizes", afirmou Diego Souza, sem convencer os jornalistas presentes ao Aeroporto de Congonhas, local do embarque para Belém, onde o Palmeiras joga contra o Paysandu, pela Copa do Brasil.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade