0

Conselho palmeirense altera emenda das Diretas Já e freia renovação

22 out 2012
23h10
atualizado às 23h50

O esperado processo das Diretas Já no Palmeiras enfrentou uma nova alteração na noite desta segunda-feira. Em reunião realizada na Academia de Futebol, o Conselho Deliberativo do clube de Palestra Itália, em sua maioria, votou em favor de um poder maior de filtro dos membros na escolha de candidatos à presidência. Para engatar uma chapa no pleito, o interessado precisará da aprovação de 20% dos conselheiros presentes (ou 50 membros).

» Baixe aplicativo e acompanhe seu time do coração
» Veja fotos e escolha a pior camisa alternativa dos times brasileiros
» Veja como eram os astros do futebol mundial na infância

A votação para esta emenda acabou sendo a mais polêmica da reunião desta segunda-feira. O projeto original previa apenas 10% de filtro para os interessados em registrar uma chapa. Contudo, na votação, o número de 20%, mais alto proposto, superou os 15% com 84 votos a 64. Alguns votantes justificaram a escolha como um veto aos "aventureiros".

O voto aberto registrou a opção dos diversos grupos políticos existentes no Palmeiras. Membros mais antigos e ligados ao ex-presidente Mustafá Contursi e da atual diretoria optaram pelo filtro de 20%. Mesma opção de nomes que deverão apoiar Paulo Nobre (que não teve o direito de votar, já que não pôde comparecer à reunião que aprovou as Diretas Já), possível candidato ao pleito de 2014, o primeiro sob o novo método.

Falta apenas mais uma votação para as Diretas Já serem viabilizadas de fato no estatuto palmeirense. Depois do encontro desta segunda-feira, os sócios participarão de uma Assembleia Geral para ratificar tais emendas. O filtro de 20% é justamente o item que mais causa polêmica, já que aumenta o poder do Conselho Deliberativo na definição das chapas para a primeira eleição direta no clube. Para ser aprovada, exatamente 2/3 dos associados precisam aprovar a opção.

Outros quatro itens passaram por votação na reunião, e todos acabaram aprovados: a eleição será por chapas e não nominal (presidente e quatro vices); o interessado em disputar a eleição precisará obrigatoriamente possuir quatro anos de mandato no Conselho Deliberativo; o vencedor no pleito terá que passar por um período de transição com o antecessor; e o Conselho de Orientação e Fiscalização será votado pelos sócios.

Membros ligados à atual diretoria, de Arnaldo Tirone, votaram pelo filtro de 20%
Membros ligados à atual diretoria, de Arnaldo Tirone, votaram pelo filtro de 20%
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra
Fonte: Terra

compartilhe

publicidade