0

Kleina quer equilíbrio contra “forte” Corinthians; Valdivia pode ser opção

15 fev 2013
07h22
atualizado às 09h18
  • separator
  • 0
  • comentários

A fase do Palmeiras ainda não inspira segurança ao torcedor, mas os resultados podem até empolgar: com uma derrota em 2013 (3 a 2 para o Penapolense), o time chegou a cinco jogos sem perder (três vitórias e dois empates). No entanto, após a vitória por 2 a 1 sobre o Sporting Cristal pela Copa Libertadores da América, o foco passa a ser o primeiro grande confronto do time no ano: o clássico contra o Corinthians, neste domingo.

<p>Técnico faz mistério sobre possível volta de meia chileno para clássico contra Corinthians</p>
Técnico faz mistério sobre possível volta de meia chileno para clássico contra Corinthians
Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

O confronto, pela oitava rodada do Campeonato Paulista, coloca frente a frente dois times que terminaram o ano em situações distintas: o Palmeiras, rebaixado no Campeonato Brasileiro, e o Corinthians, campeão mundial. Na competição estadual, os dois times contabilizam 12 pontos, mas os alviverdes levam vantagem na briga pelo quinto lugar.

Para o confronto, o técnico Gilson Kleina espera passar a seus jogadores uma mensagem de equilíbrio. Segundo ele, o time não pode perder a cabeça e entrar pressionado em campo, mesmo que o momento da equipe alvinegra seja melhor.

“Nós temos que trabalhar o equilíbrio emocional. Não adianta entrar com o Corinthians e achar que é uma guerra. É um jogo que vale muito. Temos que ser competitivos. A guerra tem que ser vista com estratégia. Não tem que entrar para dar pontapé”, disse o treinador do Palmeiras, sem esconder o momento especial do Corinthians após o Mundial de Clubes.

“É claro que é um jogo diferente. Um aspecto um pouco mais acirrado. Mas não tem que olhar com outros olhos e ser desleal. Temos que ser competitivos, fortes, mas equilibrados sempre. Temos que trabalhar a equipe sabendo que os pontos fortes dos adversários são muitos. Ninguém chega a esse título por acaso. Foi muito trabalho, tem uma situação bem definida. É um momento especial que eles vivem, um momento espetacular. Temos que buscar isso. Temos que entender que maneira jogar, que maneiras buscar desde já, para dar certo no aspecto que a gente pensa”, completou, em tom elogioso.

Ainda no discurso após a vitória sobre o Sporting Cristal, Gilson Kleina evitou reforçar o clima de rivalidade entre as duas equipes, reforçando os adjetivos para a equipe comandada por Tite. “O momento do Corinthians é um momento ímpar. Qualquer adversário que enfrenta hoje sabe que pega um entrosamento longo, uma base forte, que se reforçou para isso. Já não tem jogo fácil, mas a gente tem que entrar com a mesma postura. Não tem que achar que é só marcar”, acrescentou.

E para não ficar só na marcação, o Palmeiras pode ter a volta de Valdivia para o clássico. O meia se recupera de contusão na coxa esquerda, mas Gilson Kleina evita fazer prognósticos sobre a presença do camisa 10.

“Está trabalhando com muito afinco, está mobilizado. Trabalhou forte hoje (quinta-feira), dentro de uma programação especial. Está correspondendo bem. Vamos analisar amanhã com calma. Quem sabe? Não posso adiantar nada”, completou.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade