0

Ousadia e vontade de vencer do Palmeiras satisfazem Gilson Kleina

24 mar 2013
19h40
atualizado às 19h54
  • separator

O Palmeiras saiu do Pacaembu vaiado por sua torcida, fora das quatro primeiras posições do Campeonato Paulista e sem nenhum gol marcado diante de um Santos que, mesmo defensivo, criou as melhores chances do jogo. Mas Gilson Kleina, otimista, preferiu ressaltar a postura de seus comandados no clássico.

"Vejo que minha equipe tem ousadia. Não posso tirar o mérito dos meus jogadores. Estávamos com desfalques e, mesmo assim, o time teve bom comportamento", disse o treinador, que não pôde contar com sete jogadores, entre eles Valdivia, Henrique, Maikon Leite, Souza e Kleber, mas viu seu time ocupar o campo de ataque quase o tempo todo.

"Se teve um time que mostrou vontade de vencer, foi o Palmeiras. Em determinado momento, ficamos um pouco mais precavidos, o que é normal, mas prefiro olhar pelo lado bom. Alguns jogadores renderam bem, nossa consistência de jogo melhorou. Vamos ganhar na hora certa", apostou.

O treinador gostou da coragem da equipe para atacar desde a saída de bola, impedindo o Santos de ocupar seu campo, embora os comandados de Muricy Ramalho não tenham mostrado muita vontade de ir à frente.

"A equipe começou com muito dinamismo, fazendo pressão. Depois cadenciamos, mas procuramos o gol o tempo todo. Depois o Santos voltou um pouco melhor, fechou os lados e aí optei pela entrada do Rondinelly, recuei o Wesley", citou Kleina, que ainda teve que sacar Juninho, por contusão, para colocar Marcelo Oliveira.

"Não tem como mudar a equipe da noite para o dia e achar que vai estar tudo bem. O que mostra que o Palmeiras está no crescimento é que, mesmo desfalcados, fomos superiores ao adversário. Cada um está se superando de uma forma. Na quarta, contra o Botafogo-SP, marcamos gols e as jogadas saíram com mais desenvoltura", frisou o técnico, mostrando ainda estar feliz pela vitória por 2 a 0 no meio da semana.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
publicidade