Pan-Americano 2007

História

Havana 1991

No Pan-Americano em que Cuba desbancou os Estados Unidos no quadro de medalhas, o eterno governante do país, Fidel Castro, rendeu-se ao talento da Seleção feminina de basquete brasileira. Figura constante nas premiações dos mais diversos esportes em disputa, Fidel assistiu a passeio do Brasil diante das donas de casa na decisão e entregou pessoalmente o ouro para as campeãs.

A simpatia de Fidel foi maior com Magic Paula e Hortência, que comandaram o Brasil desde a primeira partida. O governante, por outro lado, não teve do que reclamar em outros esportes. Os cubanos conquistaram 140 ouros, dez a mais do que os rivais norte-americanos.

E a satisfação foi ainda maior por causa da crise que o país passava no momento. Após a queda do Muro de Berlim, Cuba passou a sofrer mais intensamente com a falta do apoio econômico de países como a União Soviética, que viria a acabar no fim daquele ano. A construção do Estádio Pan-Americano, sede das Cerimônias de Abertura e Encerramento e das competições de atletismo, virou símbolo maior da determinação.

O esporte cubano obteve um amplo domínio no levantamento de peso (29 ouros), no atletismo (18) e no boxe (11). No vôlei, o país ganhou o ouro no masculino e no feminino, esta última marcaria o início de uma geração que seria tricampeã olímpica.

O Brasil competiu em todas as modalidades e teve como expoentes a nova geração masculina do vôlei, com Tande, Giovane, Maurício e Marcelo Negrão, que conquistou a medalha de prata e, um ano depois, já ganharia o histórico ouro nos Jogos Olímpicos de Barcelona, na Espanha, e o nadador Gustavo Borges, que iniciou sua história vitoriosa em Pans com cinco medalhas (duas de ouro, duas de prata e uma de bronze) e ganharia a prata nos 100m livre em Barcelona.

Pela primeira vez na História do Pan, os Estados Unidos ficaram sem medalha em provas de revezamento na natação. Na prova masculina do 4x100m livre, o quarteto norte-americano foi desclassificado nas eliminatórias por causa de um erro na passagem de John Keppeler, o primeiro nadador, para James Harvey, o segundo, e sequer disputou a final.

O Brasil se beneficiou com o erro norte-americano e levou o ouro, com Gustavo Borges na equipe. Antes disso, os Estados Unidos haviam vencido todas as provas de revezamento na natação - no masculino e no feminino - com apenas uma exceção: em 1971, quando o Canadá deixou os EUA com a prata no revezamento feminino 4x100m medley.

Os Jogos de Havana também consagraram a nadadora costa-riquenha Sylvia Poll. Ela, que ganhou três medalhas de ouro nos Jogos de Indianápolis, conquistou o ouro nos 100m costas (com 30s49).

AFP
Cubanos superaram os norte-americanos no quadro geral de medalhas
Quadro de medalhas
País       Total
Cuba 140 62 63 265
Estados Unidos 130 125 97 352
Canadá 22 46 59 127
Brasil 21 21 37 79
México 14 23 38 75
» Veja o quadro completo
Participantes

Número de países: 39

Países: Antígua e Barbuda, Antilhas Holandesas, Argentina, Aruba, Bahamas, Barbados, Belize, Bermuda, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Estados Unidos, Granada, Guatemala, Guiana, Haiti, Honduras, Ilhas Cayman, Ilhas Virgens, Ilhas Virgens Britânicas, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, São Vicente e Granadinas, Suriname, Trinidad e Tobago, Uruguai e Venezuela.

Atletas

Total: 4.519

Atletas do Brasil: 304

Esportes

Número de esportes: 27

Esportes: atletismo, basquete, beisebol, boliche, boxe, canoagem, ciclismo, esgrima, esportes aquáticos (natação, nado sincronizado, saltos ornamentais, pólo aquático), futebol, ginástica (artística e rítmica), handebol, hipismo, hóquei sobre grama, judô, levantamento de peso, lutas, patinação sobre rodas, remo, softbol, taekwondo, tênis, tênis de mesa, tiro com arco, tiro esportivo, vela e vôlei.
Esporte estreante: Boliche