Modalidades

Modalidades

Ginástica

1ª aparição nos Jogos:

1951

Ginástica Artística : Um dos esportes que mais atrai a atenção do público em Jogos Pan-Americanos é a ginástica artística. Praticada desde a Antigüidade, a modalidade ganhou sua forma moderna pelas mãos do professor alemão Friedrick Ludwig Jahn, que formulou regras e aparelhos, e abriu o primeiro campo de ginástica de Berlim, em 1811.

Na ginástica artística, a competição pode ser individual ou por equipes, sendo aberta a homens, que disputam seis provas (salto, cavalo, argolas, barra fixa, paralelas e solo); e mulheres, que disputam quatro provas (salto, trave, paralelas e solo).

O objetivo é conseguir a melhor nota na avaliação dos juízes, que avaliam o grau de dificuldade dos movimentos e a execução. Para obter pontos extras, o ginasta deve acrescentar outros elementos além daqueles obrigatórios para todos os aparelhos.

Ginástica Rítmica : Consagrada por sua inegável graça e beleza plástica, a modalidade é exclusivamente feminina, com provas individuais e de conjunto, que usam cinco aparelhos (fita, corda, maça, bola e arco). Incorpora muitos movimentos do balé clássico, com ritmo e graça.

Começou a ser praticada no século XIX com coreografias básicas e conhecida como ginástica de grupo. À medida que a complexidade das coreografias foi aumentando, a partir do fim da Primeira Guerra Mundial, o interesse e o encanto do público cresceram, até que a modalidade fosse reconhecida pela Federação Internacional de Ginástica (FIG) em 1962.

Ginástica de Trampolim : As origens do trampolim repousam na Idade Média, nas performances dos acrobatas e dos trapezistas de circo - estes com seus saltos realizados a partir do impulso da rede de segurança. Suas regras foram formatadas pelo professor de educação física norte-americano George Nissen e sua estréia como modalidade olímpica aconteceu nos Jogos de Sydney-2000, na Austrália.

Sobre uma tela, geralmente de nylon, de 5m x 3m, o atleta salta até atingir cerca de 6m de altura e executa 20 elementos técnicos. Oito juízes são responsáveis pelo julgamento - um é denominado juiz central, cinco avaliam a execução e dois observam o grau de dificuldade. A ginástica de trampolim é disputada por homens e mulheres. Há também o trampolim sincronizado, em que atletas se apresentam em trampolins diferentes, mas executam os movimentos simultaneamente.

 

Locais:

Arena Olímpica do Rio (artística) e Pavilhão 3 do Complexo Esportivo Riocentro (rítmica e trampolim)

Destaques

Ginástica artística : Na história dos Jogos, a ginástica artística tem como principal força os Estados Unidos, recordista de medalhas tanto no masculino quanto no feminino. Com Eric Lopes, dono de 14 ouros em quatro edições, Cuba rivalizou com os norte-americanos nos anos 90, mas faltam outros destaques.

Porém, nos últimos anos os avanços de Brasil e Canadá colocam a hegemonia norte-americana em xeque. Os atletas brasileiros trouxeram três ouros de Santo Domingo-2003 e prometem melhorar a marca no Rio de Janeiro com as presenças de Laís Souza, Diego Hypólito e Daiane dos Santos.

Ginástica Rítmica : Nas provas individuais, Estados Unidos e Cuba dominam a modalidade em Pan-Americanos desde Indianápolis-1987, primeira edição da modalidade. Porém, na disputa por equipes, as brasileiras roubam a cena.

No Rio de Janeiro, ao Brasil busca o tricampeonato da prova e terá como adversários mais perigosos Argentina e México, que também costumam beliscar pódios no individual.

Trampolim : Depois de 48 anos de ausência, o trampolim volta a fazer parte dos Jogos Pan-Americanos. Nas duas únicas edições em que esteve presente - Cidade do México-1955 e Chicago-1959 -, a modalidade foi dominada pelos Estados Unidos.

Federação Internacional:

www.fig-gymnastics.com

EFE
Daiane dos Santos é uma das principais esperanças do Brasil
Medalhas do Brasil
6 7 12
Calendário
Julho de 2007
dom seg ter qua qui sex sab
          13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29