Pan-Americano 2007

Pan-Americano 2007

Segunda, 30 de julho de 2007, 06h39 

Lula diz que Pan credencia Brasil para Copa e Olimpíada

Reinaldo Marques/Terra

Festa de encerramento do Pan aconteceu no Maracanã
Enquete

O desempenho dos atletas brasileiros no Pan foi satisfatório?

Sim
Não

Busca
Saiba mais na Internet sobre:
Faça sua pesquisa na Internet:

A realização dos Jogos Pan-Americanos no Rio de Janeiro credencia o Brasil para organizar uma Copa do Mundo e uma Olimpíada, afirmou nesta segunda-feira o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente.

» Megaenquete: vote agora
» No Rio, Brasil tem melhor desempenho da história
» Maia ironiza vaias

Lula disse que embora ainda esteja longe de se tornar uma potência olímpica, o Brasil deu um passo importante com o Pan do Rio.

Na avaliação de Lula, os investimentos para viabilizar a realização dos Jogos no País valeram a pena.

"Valeu a pena gastar o dinheiro que tinha que gastar, valeu a pena aplicar o que tinha que aplicar, fazer parceria com o governo do estado, com a prefeitura municipal para que a gente pudesse mostrar ao mundo a capacidade que o Brasil tem de realizar uns Jogos dessa magnitude", destacou.

Além de elogiar a atuação dos atletas brasileiros, que conquistaram 54 medalhas de ouro, 40 de prata e 67 de bronze, Lula destacou aspectos como a organização, as instalações físicas, a segurança e a participação dos agentes comunitários no evento.

"O que nós vimos nesses Jogos Pan-Americanos é o Brasil com a sua maior delegação, é o Brasil ganhando o maior número de medalhas, mas, sobretudo, são os atletas brasileiros acreditando que a partir desses Jogos Pan-Americanos é possível a gente evoluir muito no financiamento dos atletas, ou seja, no profissionalismo, no patrocínio, em fazer novos eventos internacionais e está tudo pronto para isso, sobretudo, temos muito know how depois do que nós aprendemos com o Pan", emendou.

Para o presidente, o Brasil ainda não é uma potência olímpica porque durante muitas décadas "o esporte não foi levado muito a sério como política de Estado".

"Desde a participação do ministro Agnelo, depois do ministro Orlando, ou seja, nós tomamos decisões de fazer com que o Brasil caminhe rapidamente para se transformar em uma potência olímpica", comentou.

Em comparação com a edição anterior do Pan, em Santo Domingo, o Brasil ampliou o quadro de medalhas em 30%, passando de 123 para 161.

"Fico muito feliz como cidadão, como brasileiro e como presidente da República, de ver que nós ganhamos 54 medalhas de ouro, 40 de prata e 67 de bronze", destacou Lula.

"Fiquei feliz porque ouvi de muita gente que veio do exterior, inclusive muitos atletas, a frase, ou melhor, a afirmação de que o que o Brasil conseguiu fazer para os Jogos é melhor do que muitas Olimpíadas de que eles já participaram", encerrou.

  • Envie esta notícia por e-mail
  • Imprima esta notícia