3 eventos ao vivo

Patinador americano se confirma como "maior inimigo" sul-coreano

19 fev 2010
12h07
atualizado às 12h14

Perto de se tornar o americano mais premiado da história dos Jogos de Inverno, o patinador Apolo Anton Ohno já é um dos atletas mais odiados da Coreia do Sul.

Não bastasse a sua descendência japonesa, que já bastaria para gerar uma rivalidade, Ohno passou a ser inimigo dos sul-coreanos há oito anos, nos Jogos de Salt Lake City.

Ele é acusado de "roubar" a medalha de ouro de Kim Dong-sung nos 1.500m. O asiático venceu nos 1.500m, mas foi desclassificado após a prova. Na época um adolescente em sua primeira Olimpíada, Ohno levantou os braços e acusou o rival de bloqueio ao tentar ultrapassá-lo.

O ato foi suficiente para uma onda "anti-Ohno" na Coreia do Sul. Os torcedores do país podiam atirar no patinador em um jogo de videogame e até uma empresa de papéis higiênicos chegou a lançar um modelo com o rosto do atleta estampado.

Além disso, a caixa de entrada do e-mail do Comitê Olímpico Americano ficou bloqueado por nove horas por causa de milhares de mensagens raivosas de sul-coreanos.

O ódio ficou ainda maior em Vancouver. Na prova dos 1.500 m, a patinação de velocidade olímpica esteve próxima de ter um pódio 100% sul-coreano. No entanto, nos metros finais, Ho-Suk Lee e Si-Bak Sung se tocaram e a prata caiu no colo de Ohno.

Jung-Su Lee, que faturou a prova e um ouro inédito para o seu país, não deixou passar a chance de reclamar do que considerou uma "postura agressiva" do americano e disse que o rival "não merecia estar no mesmo pódio que ele".

Ohno, por sua vez, também alfinetou: "torci no final por uma desclassificação, assim como ocorreu em Salt Lake", disse.

O novo capítulo da história já tem data marcada: no próximo sábado, Ohno tenta buscar na prova dos 1.000 m a sua sétima medalha em Olimpíadas, o que o tornaria o atleta mais vencedor dos Estados Unidos na história dos esportes de inverno.

Ele novamente terá pela frente Jung-Su Lee e os dois sul-coreanos que caíram na última prova. Na torcida contra o americano, uma nação asiática de quase 50 milhões de habitantes.

Entenda as provas de patinação de velocidade

A patinação de velocidade é disputada em um circuito oval em provas de feminino e masculino e seis distâncias (500 m, 1.000 m, 1.500 m, 3.000 m, 5.000 m e 10.000 m). As velocidades chegam até a 70 km/h.

Dois atletas participam de cada corrida, mas não competem um contra o outro. O adversário em comum é o relógio. Ambos têm sua própria pista e têm que variar movimentos para que todos façam a mesma distância. Ganha quem fizer o menor tempo.

Há ainda a prova de perseguição por equipes na patinação de velocidade em Vancouver. Similar ao ciclismo dos Jogos de Verão, equipes de três integrantes largam na mesma hora e em cada lado da pista. O tempo só é definido quando o terceiro competidor cruza a linha.

Jogos Olímpicos de Inverno no Terra

O Terra transmite ao vivo a competição em 15 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito.

Uma equipe de 60 profissionais está encarregada de fazer a cobertura direto de Vancouver e dos estúdios do Terra, em São Paulo, no Brasil, com as últimas notícias, fotos, curiosidades, resultados e bastidores da competição.

A equipe conta com a participação do repórter especialista em esportes radicais Formiga - com 20 anos de experiência em modalidades de neve -, e o pentacampeão mundial de skate Sandro Dias, que comenta a competição em seu blog no Terra.

No celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone e smartphones: m.terra.com.br/vancouver

Patinação de Velocidade (M) - 1000m
Fonte: Terra
publicidade