Pequim
 
Brasil
 

História

Atenas 1896

Destaque
Getty Images
Spyridon Louis
O maior destaque desta Olimpíada foi o maratonista grego Spyridon Louis, vencedor da prova. A competição era a mais cobiçada pelos gregos e o atleta foi saudado por cerca de 100 mil torcedores, que o esperavam na linha de chegada, na cidade de Maratona. Louis era carteiro.
Curiosidades
  • Pela primeira vez na história, foi criado um selo comemorativo para uma competição.
Ficha
  • Período: 6 a 15 de abril
  • Número de países: 14
  • Número de atletas: 241 atletas (todos homens)
  • Modalidades: 9
    atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, levantamento de peso, luta, natação, tênis e tiro
Medalhas
  • Estados Unidos117220
  • Grécia10171946
  • Alemanha65213
  • França54211
  • Reino Unido2327

Quatorze países reviveram a tradição grega dos Jogos e, reunidos em Atenas, disputaram a primeira Olimpíada da era moderna. Um dos grandes incentivadores do renascimento da competição foi o Barão de Coubertin. Pierre de Frédy era formado em Ciências Políticas e se tornou educador.

Em 1892, apresentou uma tese na Universidade de Sorbonne, em Paris, sobre "os exercícios físicos no mundo moderno", quando começou as tentativas de retomar a tradição olímpica. Dois anos depois, conseguiu a promessa dos gregos de retomar a competição. No mesmo ano, nasceu o Comitê Olímpico Internacional, responsável pela organização dos Jogos, a cada quatro anos. O Barão de Coubertin foi presidente do comitê de 1896 a 1925.

Em seis de abril de 1896, o norte-americano James Connolly venceu a prova de salto triplo e se tornou o primeiro campeão olímpico em 1,5 mil anos. Na oportunidade, os vencedores foram premiados com uma medalha prateada e um ramo de oliva. Não havia medalhas de ouro ou bronze. O alemão Carl Schumann terminou entre os cinco primeiros em três modalidades diferentes.

Nenhuma mulher participou dos Jogos, dentre os 241 atletas. Foram nove modalidades: natação, atletismo, ciclismo, esgrima, ginástica, tiro, tênis, levantamento de peso e luta. O vencedor destas Olimpíadas foram os Estados Unidos, seguido da Grécia e da Alemanha.

A Grécia teve dificuldades para organizar o evento, e cidades como Budapeste e Paris se ofereceram para ocupar o lugar dos gregos. Por fim, o país conseguiu cumprir os requisitos necessários para abrigar os Jogos Olímpicos, mas ainda com algumas falhas.

O vencedor das provas dos 100 metros livres e dos 1.200 metros da natação, Alfred Hajos, contou que as dificuldades ajudaram-no na conquista. Na prova de longa distância, os nadadores eram levados por um barco para alto mar e tinham que voltar sozinhos para a praia. "Devo dizer que temi pelo que pudesse acontecer se tivesse um problema devido à água fria. Minha vontade de sobreviver suplantou completamente meu desejo de vitória", disse o medalista.

O Brasil não participou da primeira Olimpíada da era moderna.

Redação Terra