Pequim
 
Brasil
 

História

Los Angeles 1932

Destaque
Divulgação
Adalberto Cardoso
O corredor Adalberto Cardoso, que disputaria a prova dos 10 mil metros e que não foi escolhido entre os 32, decidiu deixar o navio e partir a pé até Los Angeles. Após a ajuda de algumas caronas, Cardoso chegou ao estádio cerca de 10 minutos antes do início da prova. O brasileiro chegou em último, mas o público soube da história e o consagrou com aplausos pelo esforço.
Destaque
Getty Images
Mildred Didrikson
A norte-americana Mildred Didrikson participou de três provas no atletismo: ganhou dois ouros e uma prata. As regras dos Jogos na época não permitiam que ela participasse de mais provas e a atleta perdeu a chance de disputar medalhas em mais duas provas.
Curiosidades
  • Pela primeira vez na história, uma mulher participou de uma Olimpíada. A nadadora brasileira Maria Lenk participou de três provas, mas não conseguiu medalha.
Ficha
  • Período: 30 de julho a 14 de agosto
  • Número de países: 37
  • Número de atletas: 1332 atletas (1206 homens e 126 mulheres)
  • Modalidades: 16
    atletismo, boxe, ciclismo, esgrima, ginástica, hipismo, hóquei sobre a grama, levantamento de peso, luta, natação, pentatlo moderno, pólo aquático, remo, saltos ornamentais, tiro e vela
Medalhas
  • Estados Unidos413230103
  • Itália12121236
  • França105419
  • Suécia95923
  • Japão77418
  • -Brasil0000

O baixo número de atletas que participaram das Olimpíadas de 1932 pode ser explicado pelo fato de os Estados Unidos, e quase todo o resto do mundo, estar vivendo sob uma depressão econômica. Esta foi a mais curta Olimpíada disputada até então. Até Amsterdã-1928, nenhum torneio havia durado menos que 79 dias.

O número de atletas presentes também foi afetado. Foram 1,3 mil, menos que a metade do número de participantes dos Jogos Olímpicos de Amsterdã, quatro anos antes. Algumas provas tiveram que ser canceladas por falta de participantes. Mais uma vez, assim como havia acontecido em Saint Louis-1904, algumas delegações européias culparam a distância com a viagem até outro continente para a ausência de atletas. Para os europeus, seriam 20 dias a bordo de um navio, mais cinco dias de trem para chegar à costa oeste norte-americana.

O público pouco se importou com os desfalques e prestigiou o evento como nunca. A cerimônia de abertura foi vista por 100 mil pessoas. Os equipamentos eletrônicos para medição de tempo foram oficialmente introduzidos, assim como a câmera para registrar a chegada dos atletas. Pela primeira vez, os vencedores das provas puderam ver as bandeiras de seus países hasteadas e ouvir os hinos nacionais durante a cerimônia de premiação.

Em Los Angeles, o japonês Kusuo Kitamura, com 14 anos, tornou-se o mais jovem atleta na história a conquistar uma medalha de ouro olímpica. Homens e mulheres foram colocados em lugares separados. Os homens ficaram na Vila Olímpica e as mulheres foram para hotéis.

A participação brasileira nestas Olimpíadas aconteceu graças ao esforço dos atletas, em todos os sentidos. Sem dinheiro para financiar a viagem dos competidores, o governo decidiu que os que quisessem ir até Los Angeles teriam que embarcar em um navio carregado de café, trabalhar na embarcação e ajudar a vender a carga. A verba da delegação seria o fruto da venda do café durante as paradas até os Estados Unidos.

A experiência dos atletas como negociantes além-mar não foi satisfatória o suficiente e, ao chegar em São Francisco, onde todos desembarcariam, os chefes da delegação foram obrigados a escolher 32 atletas, já que a verba arrecadada só cobria as despesas desse número de pessoas. Feito isto, o Brasil contaria somente com estes 32, além dos outros que chegaram a Los Angeles por conta própria.

O saldo brasileiro foi terminar a competição sem medalha alguma. Os Estados Unidos venceram os Jogos, seguidos da Itália e França.

Redação Terra