Pequim
 
Brasil
 

História

Helsinque 1952

Destaque brasileiro
Arquivo CBAt
José Telles da Conceição
Na Olimpíada em que Adhemar Ferreira da Silva conquistou sua primeira medalha de ouro, outro destaque brasileiro foi José Telles da Conceição. O atleta conquistou a medalha de bronze do salto em altura, atingindo 1,98m, a mesma marca de seu próprio recorde sul-americano.
Destaque
Getty Images
Emil Zatopek
Emil Zatopek já havia provocado frisson no atletismo na Olimpíada de Londres (1948), quando venceu os 10000m com vantagem maior do que 300m. Ele ainda ficou com a prata nos 5000.

Quatro anos mais tarde, o atleta melhorou ainda mais sua performance. Além vencer as duas provas que já era medalhista, ele ganhou a maratona em Helsinque e tornou-se o primeiro e único corredor a ser campeão olímpico nas três provas mais longas do atletismo. Zatopek ainda se inscreveu para a disputa da maratona nos Jogos de 1956, mas uma hérnia de disco seis meses antes o impediu de tentar o bi.
Curiosidades
  • Adhemar Ferreira da Silva inconscientemente criou a volta olímpica após conquistar o ouro no salto triplo. Muito aplaudido pelos torcedores finlandeses, ele se aproximou da arquibancada para saudar os fãs. Conforme a intensidade das palmas aumentava, o brasileiro foi contornando o estádio, iniciando o gesto que seria comum a partir de então.
Ficha
  • Período: 19 de julho a 3 de agosto
  • Número de países: 69
  • Número de atletas: 4955 atletas (519 mulheres e 4436 homens)
  • Modalidades: 19
    atletismo, basquete, boxe, canoagem, ciclismo, esgrima, futebol, ginástica, hipismo, hóquei sobre a grama, levantamento de peso, luta, natação, pentatlo moderno, pólo aquático, remo, saltos ornamentais, tiro e vela
Medalhas
  • Estados Unidos40191776
  • União Soviética22301971
  • Hungria16101642
  • Suécia12131035
  • Itália89421
  • 24ºBrasil1023

Realizada no início da Guerra Fria, a Olimpíada de Helsinque (1952) ficou marcada pela estréia da União Soviética, que disputaria com os Estados Unidos o maior número de medalhas nas edições seguintes numa rivalidade que ultrapassava a esfera esportiva.

A primeira disputa entre União Soviética e Estados Unidos terminou com vantagem norte-americana. Foram 76 medalhas, sendo 40 de ouro, contra 71 dos soviéticos (22 de ouro). A rivalidade seria ainda mais acirrada no decorrer dos anos em razão da crescente tensão política entre as duas principais potências da época.

A competição da Finlândia também teve a volta da Alemanha, ausente quatro anos antes por conseqüência de sua derrota na Segunda Guerra Mundial. O desempenho foi fraco, com sete medalhas de prata, 17 de bronze e nenhum ouro.

O grande destaque desta edição, no entanto, veio de outro país, a Checoslováquia. Emil Zatopek venceu as três provas de maior distância do atletismo, façanha jamais igualada na história da Olimpíada. A Locomotiva de Praga, como ficou conhecido, ganhou o ouro nos 5000m, 10000m e na maratona.

Outro país do Leste Europeu, a Hungria apresentou ao mundo uma seleção de futebol que mais de 50 depois segue na lista das melhores da história. Com o atacante Puskas em sua melhor fase, os húngaros foram campeões olímpicos num prenúncio do que seria a participação na Copa do Mundo de 1954, quando ficaram com o vice.

No pentatlo moderno, uma surpresa. Pela primeira vez uma medalha de ouro não ficou com um militar. O carpinteiro sueco Lars Hall foi o responsável pela quebra do tabu.

De volta ao topo: Após 32 anos, o Brasil voltou a conquistar uma medalha de ouro em Olimpíada graças ao desempenho de Adhemar Ferreira da Silva no salto triplo. O brasileiro superou o seu próprio recorde mundial, de 16,01m, por quatro vezes na Olimpíada de Helsinque: 16,05m, 16,09m, 16,12m e 16,22m.

O Brasil obteve bons resultados nas outras duas provas de salto. Na por altura, José Telles da Conceição conquistou a medalha de bronze, atingindo 1,98m, a mesma marca de seu próprio recorde sul-americano. Já Ary Façanha de Sá se classificou em quarto lugar na prova de salto em distância com 7,23m.

Outro destaque brasileiro em Helsinque foi o nadador Tetsuo Okamoto. O nadador de origem asiática, que recebeu o apelido de Peixe Voador, conquistou a medalha de bronze nos 1500m livre com o tempo de 18min51s3.

Redação Terra