Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Domingo, 10 de fevereiro de 2008, 09h28 Atualizada às 09h30

Brasileiro Cielo critica análise da estrela Thorpe

  • Notícias

Sem prometer recordes, sem estabelecer marcas e mesmo sem garantir que voltará da Olimpíada com medalhas nos 50m ou nos 100m livres, César Cielo não deu a mínima para a declaração do ex-nadador Ian Thorpe. Há duas semanas, o fenômeno australiano afirmou que as provas em Pequim serão mais lentas por serem disputadas de manhã e também pela poluição da cidade. Isso, portanto, dificultaria a quebra de recordes mundiais nos Jogos.

» Cielo evita badalação

"Isso vai ser usado como desculpa para uma performance que não for alcançada como esperada. Se a gente for pensando que o ar não está bom, que as finais são de manhã, já estaremos indo derrotados", criticou Cielo, que ano passado foi o melhor nadador da Liga Universitária Americana. "As finais de manhã não são realmente muito favoráveis a excelentes marcas, mas se está ruim para nós, está ruim para todo mundo".

O paulista, que nesta semana vai disputar o GP de Missouri - a primeira competição do ano onde vai tentar melhorar os resultados - desdenha da possibilidade de se tornar um recordista mundial. Para ele, o mais importante é voltar com uma medalha no peito.

"Pensar e sonhar com recorde mundial é possível, mas não é o foco do meu treinamento. Se precisasse escolher entre um recorde e um ouro olímpico eu escolheria a medalha. Recordes são batidos a todo momento, uma medalha olímpica fica para sempre".


Jornal do Brasil