Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Sexta, 13 de junho de 2008, 16h47 Atualizada às 23h41

Iziane se recusa a jogar e é cortada da Seleção

  • Notícias

Após substituição, Iziane se recusa a volta à quadra e é cortada da Seleção por Bassul
Após substituição, Iziane se recusa a volta à quadra e é cortada da Seleção por Bassul
EFE

Julio Gomes Filho
Direto de Madri

Após se recusar a voltar à quadra depois de ser substituída durante a partida entre Brasil e Bielo-Rússia, a ala Iziane foi cortada pelo técnico Paulo Bassul, da Seleção Brasileira, nesta sexta-feira. O grupo verde e amarelo foi derrotado pelas adversárias por 86 a 79, em partida válida pelo Pré-Olímpico Mundial de basquete.

» Brasil x Bielo-Rússia: veja fotos
» Brasil vacila e perde
» Opine: Bassul agiu de forma correta ao afastar Iziane?

Iziane é a principal jogadora da Seleção Brasileira e atua pela WNBA, Liga Norte-Americana feminina de basquete. A atleta, inclusive, precisou pedir liberação de sua equipe, o Atlanta Dream, para defender as cores do Brasil no Pré-Olímpico.

"A equipe estava mal e eu quis que ela retornasse ao jogo, mas ela se recusou. Fiquei em uma situação difícil e sem saída. Não tenho outra alternativa a não ser tirá-la da equipe. Ela está fora da Seleção. Estou muito calmo e não vou colocar panos quentes. Ela não quis entrar e eu não posso aceitar uma coisa dessas", decretou Bassul.

O comandante afirmou que não quer sacrificar a coletividade de um grupo por conta de uma única jogadora.

"Esta situação está resolvida. Não vou abrir mão da coletividade do grupo, que tem plenas chances de chegar à Olimpíada. Não tem mais volta. Isso é inadmissível", completou o treinador.

No entanto, o técnico fez questão de elogiar a atleta que, segundo ele, é "fora de série" e fará falta ao time que busca uma vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim.

"A Iziane é uma excelente jogadora. Ela é fora de série. Com certeza vai fazer falta. Eu já perdi oito jogadoras e agora perdi a nona atleta, paciência", lamentou, antes de explicar como ocorreu o fato durante o duelo com a Bielo-Rússia.

"Como as reservas entraram bem em quadra, eu optei por colocar as titulares de pouco em pouco. Quando pedi para ela voltar, ela me disse: 'não vou voltar. Não conta mais comigo'. Eu respondi para ela: 'se eu não posso contar com você nesse jogo, não conto mais com você daqui para frente'", encerrou.

Ao final da partida, Iziane foi procurada por jornalistas, mas afirmou que não queria dar entrevistas. "Hoje eu não vou falar. Mais para frente vocês vão ficar sabendo a verdade sobre essa história. Mas hoje não", disse a atleta.

O presidente da Confederação Brasileira de Basquete (CBB), Gerasime Bozikis, conhecido como Grego, afirmou que apóia a decisão de Bassul. "As jogadoras estão lá para jogar e o técnico para liderar. É uma decisão dele e a gente aceita", afirmou o dirigente.


Redação Terra