Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Quinta, 31 de julho de 2008, 16h39 Atualizada às 20h08

Cielo: "não vim para participar, vim para ganhar"

  • Notícias

Em preparação em Macau, César Cielo promete brigar por medalhas em Pequim
Em preparação em Macau, César Cielo promete brigar por medalhas em Pequim
Julio Gomes Filho/Especial para Terra

Julio Gomes Filho
Direto de Macau

O jeito "moleque", fazendo gozações com quem estiver em volta, esconde uma cabeça que não pensa em outra coisa que não ganhar. A máxima de "o que importa é competir", tão batida em época de Olimpíada, não vale para César Cielo, apenas 21 anos de idade.

» Assista ao vídeo
» Exclusivo: técnico acredita nos 8 ouros de Phelps
» João Derly: "sonho com meus adversários"

"Eu trabalho para ganhar, em nenhum momento eu treino achando que vou ser segundo lugar. Minha mãe até fica brava comigo quando eu falo assim, mas se eu viesse aqui para participar eu preferia ir para a arquibancada assistir. Eu não vim aqui para ficar brincando, não, ou para participar. Eu vim para buscar minhas finais, conquistar meu melhor resultado e, se Deus quiser, uma medalha", disse o grandalhão de 1,95m em entrevista exclusiva ao Terra. Um pouco antes da entrevista, César Cielo fazia relaxamento em uma banheira de hidromassagem próxima da piscina onde estão sendo realizados os treinamentos em Macau. Ele não dava ouvidos ao técnico australiano Brett Hawke, que assobiava pedindo para que ele saísse de lá.

"Ele está há duas horas lá, está descansando demais", esbravejou Hawke. Cielo seguia batendo papo com os outros nadadores, e o australiano, finalista dos 50m livre em Atenas, comentou: "poucas vezes eu vi uma mentalidade tão ganhadora como a desse garoto. Ele não veio aqui para competir, só para ganhar. E, para mim, só três caras podem ganhar essa prova. Ele, o (australiano) Eamon Sullivan ou o francês (Alain Bernard). Ninguém mais".

"Estou bem confiante mesmo, nadando bem rápido e na melhor forma da minha vida. Não estou preparado para perder, não. Não parei para pensar nessa hipótese", disse Cielo, minutos depois.

Chamado de "Cesão" pelos outros nadadores, ele é considerado um "gente boa" no grupo da Seleção Brasileira. Sempre falando sobre mulheres, promete "tomar cuidado" com as distrações que podem proporcionar a Vila Olímpica e permanecer focado na competição.

Leia abaixo a íntegra da entrevista exclusiva com César Cielo.

Terra - Você lida bem com a pressão que você mesmo se coloca e a que vem de fora? Em uma prova equilibrada como esta, está preparado para perder?
César Cielo - Olha, não estou preparado para perder, não. Não parei para pensar nessa hipótese, estou pensando só em coisa positiva mesmo. E não me preocupo com a pressão de fora, porque a pressão que eu coloco em mim é bem grande. O Brett (Hawke, treinador) sabe bem disso, minha mãe sabe bem disso, tem vezes que eu fico bem bravo com os resultados que faço durante a temporada, durante treino. Estou deixando só a minha pressão influenciar, até parei de usar a internet. Estou só comigo mesmo, eu sei o que posso fazer e eu sempre adivinho os tempos que vou fazer, eu erro por pouquinho. Espero que no dia acorde, pense num tempo bem baixo e erre por pouquinho também.

Terra - É verdade que você lutava judô quando criança e desistiu porque apanhava muito?
César Cielo - Tem uma parte de verdade e uma de mentira nessa história. Eu dei bastante porrada na molecada também (risos). Eu sempre tive uma altura maior do que os outros da minha idade e isso foi uma vantagem pra mim na época. Meu professor viu isso e me colocou numa classe mais avançada, foi aí que eu comecei a apanhar mesmo. Cheguei para a minha mãe e disse "chega, não quero mais brincar disso". Ela conhecia o técnico de natação da cidade (Santa Bárbara d'Oeste) na época, o Mário, e aí comecei a nadar. Mas mais para aprender a nadar, a gente não estava procurando natação competitiva, não.

Terra - Logo depois você começou a trabalhar com o Gustavo Borges e aí tudo já era diferente na tua vida...
César Cielo - O Gustavo era um ídolo e quando surgiu a proposta foi sonho sendo realizado. Na época era legal ver o Gustavo de vez em quando na TV, mas eu ia estar vendo todo dia ao vivo e não sabia como iria reagir. Foi difícil deixar a família em Santa Bárbara e ir para São Paulo sozinho, mas foi, sem dúvida, a melhor coisa que eu fiz na minha vida.

Terra - Você parece ser uma pessoa focada e que tem certeza que as coisas vão acontecer. É isso mesmo? Você tem certeza que, se não for agora, vai ganhar medalha um dia, bater recordes mundiais, fazer as coisas acontecerem?
César Cielo - Se eu vou bater as marcas eu não sei, mas vou buscar o meu melhor sempre, fazer o máximo e com bastante determinação. Eu trabalho para ganhar, em nenhum momento eu treino achando que vou ser segundo lugar. Isso é uma coisa que eu tenho na minha cabeça e busco sempre, eu posso prometer que vou buscar sempre o primeiro lugar. Se vou conseguir ou não, aí é outra coisa, mas eu sempre deixo minha melhor performance na piscina.

Terra - Teu técnico me disse: "esse cara não está aqui para competir, está para ganhar". É esse teu jeito de encarar tudo?
César Cielo - Sem dúvida. Na verdade minha mãe até fica brava comigo quando eu falo assim, mas se eu viesse aqui para participar eu preferia ir para a arquibancada assistir, eu ia gostar mais de ver o pessoal ganhando, batendo os recordes. Eu não vim aqui para ficar brincando, não, ou para participar. Eu vim para buscar minhas finais, conquistar meu melhor resultado e, se Deus quiser, uma medalha.

Terra - Se você ganhar a medalha de ouro, vai ser zebra?
César Cielo - Na minha cabeça, não. Estou me preparando para uma performance muito boa, para que os outros nadem bem e não tenha nenhuma surpresa na hora. Estou bem confiante mesmo, nadando bem rápido e na melhor forma da minha vida, então estou esperando um resultado surpreendente mesmo.

Terra - Você lida bem com a pressão que você mesmo se coloca e a que vem de fora? Em uma prova equilibrada como esta, está preparado para perder?
César Cielo - Olha, não estou preparado para perder, não. Não parei para pensar nessa hipótese, estou pensando só em coisa positiva mesmo. E não me preocupo com a pressão de fora, porque a pressão que eu coloco em mim é bem grande. O Brett (Hawke, treinador) sabe bem disso, minha mãe sabe bem disso, tem vezes que eu fico bem bravo com os resultados que faço durante a temporada, durante treino. Estou deixando só a minha pressão influenciar, até parei de usar a internet. Estou só comigo mesmo, eu sei o que posso fazer e eu sempre adivinho os tempos que vou fazer, eu erro por pouquinho. Espero que no dia acorde, pense num tempo bem baixo e erre por pouquinho também.

Terra - É verdade que na tua universidade nos Estados Unidos há uma cartilha que proíbe o namoro?
César Cielo - Proibido não é, mas eles pedem para evitar. É complicada essa história, não foi fácil para mim passar lá esses três anos. Tem que saber se controlar, eu tenho que ser mais disciplinado. Talvez não tanto como eles, mas é importante ter uma disciplina bem de militar mesmo, bem de exército.

Terra - Em compensação você vai estar em uma Vila Olímpica cheia de distrações, com mulheres de outras delegações, de outros esportes. Você já pensou que precisa tomar cuidado com isso?
César Cielo - Estou bem focado para a natação, não estou pensando nisso, não. Os dias que eu tiver livre lá durante a competição vão ser para descansar mesmo e para ficar focado. Na verdade eu não tinha pensado nisso até agora. Talvez quando eu veja por lá eu vou pensar um pouquinho, mas vai ser bem rápido. Quando estou para competição, só penso nisso. Me preparei seis meses para agora, então não quero me dispersar. Talvez só um e-mail ou outro eu posso pegar, aí não faz mal pra ninguém (risos).

Terra - Esse período nos EUA sozinho, treinando, estudando, foi essencial para você ter conseguido os resultados e virado um atleta com mentalidade ganhadora?
César Cielo - O mais importante dessa história foi o comprometimento das duas partes. Eu, que estava indo, e minha família, para quem foi difícil também. Mas sem dúvida tive um crescimento pessoal, aprendi a cozinhar, lavar roupa, um monte de coisa. Hoje me sinto mais preparado pra vida.

Olimpíada no Terra: ao vivo e exclusivo

Os Jogos de Pequim serão realizados de 6 a 24 de agosto. O Terra irá transmitir ao vivo e com exclusividade a competição em 13 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários terão a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso será gratuito. Os internautas terão um importante papel no site especial do Terra, que será totalmente construído a partir do conteúdo gerado pelos usuários. Na área Fanzone, o usuário poderá ser o comentarista, gravar vídeos com sua câmera e compartilhá-los com a audiência do Terra. O internauta já pode enviar vídeos, fotos e textos para os atletas e as equipes. Clique e participe. Os vídeos estarão disponíveis a partir do dia 6.


Redação Terra