Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Terça, 19 de agosto de 2008, 11h50 Atualizada às 15h42

Argentina goleia e afunda Seleção de Dunga

Agüero vibra com atuação perfeita contra o Brasil
Agüero vibra com atuação perfeita contra o Brasil
EFE

Bernardo Ramos
Renato Pazikas
Direto de Pequim

O Brasil terá de se contentar com a disputa da medalha de bronze nos Jogos de Pequim. Com um futebol envolvente na segunda etapa, a Argentina goleou a Seleção de Dunga por 3 a 0, nesta terça-feira, pela semifinal do torneio masculino de futebol, no Estádio dos Trabalhadores, em Pequim, e adiou mais uma vez o sonho do rival em conquistar o ouro olímpico.

O grande responsável pelo naufrágio da Seleção foi o atacante Agüero, do Atlético de Madrid, e com um ingrediente a mais. O carrasco do Brasil é nada menos que genro do ídolo argentino Maradona, presente no estádio.

Fora da última Olimpíada, em Atenas, o futebol pentacampeão do mundo amarga mais uma frustração em Jogos Olímpicos e ficará no mínimo mais quatro anos sonhando com a medalha de ouro. Os melhores resultados foram as pratas em Los Angeles 1984 e Seul 1988 e o bronze em Atlanta 1996. Entre os maiores fracassos, está uma derrota para Camarões nas quartas-de-final em Sydney 2000.

Quem imaginava que Lionel Messi seria a grande estrela da partida por parte da Argentina se enganou. Quem brilhou dentro das quatro linhas foi Agüero, que marcou duas vezes e ainda sofreu o pênalti que originou o terceiro gol. O jogador é genro de Maradona, namorado de Gianina, que está grávida do atacante alviceleste.

Sem contar o placar elástico para os argentinos, a Seleção ainda escutou gritos de "olé" por parte dos torcedores que lotaram o estádio para assistir um dos maiores clássicos do futebol mundial.

Além dos astros que atuavam dentro de campo, como Ronaldinho, Diego, Alexandre Pato, Messi e Riquelme, as arquibancadas também estavam cheias de celebridades. Além de Maradona, o astro da NBA Kobe Bryant e o técnico da seleção inglesa Fabio Capello acompanharam o duelo.

O Brasil agora brigará pelo terceiro lugar nesta sexta-feira, às 8h (de Brasília). A Seleção enfrentará a Bélgica, que foi goleada pela Nigéria por 4 a 1, nesta terça-feira. Os argentinos lutarão pelo bicampeonato olímpico neste sábado, contra os africanos, à 1h (de Brasília).

O jogo

A partida começou tranqüila, mas logo pegou fogo. Rafinha, aos 11min, chegou pela primeira vez com perigo ao gol de Romero. O lateral driblou o adversário e chutou cruzado. A bola passou por Rafael Sóbis e saiu pela linha de fundo. A resposta dos argentinos veio pouco tempo depois. Agüero avançou pela direita, cortou para dentro da área e chutou para assustar o goleiro Renan.

Como a maioria dos jogos entre Brasil e Argentina, a partida passou a ficar tensa, com entradas fortes e cartões amarelos. A primeira advertência foi para o argentino Zabaleta. Logo em seguida, Breno também recebeu o cartão.

A Seleção Brasileira insistia em jogadas pela lateral, mas Marcelo pecava nos cruzamentos. Já os argentinos acionavam Messi, que conseguia chegar dentro da área, mas sem objetividade.

Aos 40min, mais uma vez com Messi, a Argentina quase chegou ao primeiro gol. O atacante entrou na área pela diagonal, fez fila nos brasileiros e chutou para a boa defesa de Renan, que evitou o tento argentino.

Mas o jogo era parelho e os brasileiros deram o troco logo no contra-ataque. O meio-campista Hernanes conseguiu arrumar um espaço perto da área e não pensou duas vezes antes de chutar. A bola subiu demais, mas assustou o arqueiro alviceleste.

As duas seleções voltaram para a segunda etapa sem alterações. Mas quem se deu melhor foram os argentinos. Aos 6min, em uma bobeira da zaga brasileira, Di Maria cruzou à meia altura na pequena área e Agüero, de barriga, colocou a bola para o fundo das redes de Renan, abrindo o marcador em Pequim.

A Seleção Brasileira não estava morta e o jogo ficou mais aberto. Logo no lance seguinte do gol, o Brasil acertou a trave da Argentina. Rafael Sóbis resolveu arriscar de longe e carimbou o poste do camisa 1 Romero.

No entanto, os brasileiros só atacavam e esqueceram de defender. Garay avançou pela direita e chutou cruzado. A bola passou por toda a zaga e chegou aos pés de Agüero que de novo só teve o trabalho de completar par ao fundo do gol.

A Seleção tentava o primeiro gol e, aos 20min, quase conseguiu. Após cobrança de falta do camisa 10 Ronaldinho, a bola sobrou para Alexandre Pato. O atacante do Milan colocou para dentro do gol, mas árbitro já marcava impedimento.

A equipe verde e amarela tentava reagir, mas a marcação argentina trabalhava com eficiência e não deixava brasileiros avançarem, acabando de vez com o sonho do ouro olímpico. Agüero ainda teve tempo de sofrer um pênalti. O camisa 10 e capitão Riquelme foi para a cobrança e converteu para decretar a goleada.

No fim do jogo, a Seleção ainda teve dois jogadores expulsos. Thiago Neves e Lucas se exaltaram, levaram o vermelho e foram mais cedo para o chuveiro, antes do apito final do juiz.

Olimpíada no Terra: ao vivo e exclusivo

O Terra transmite ao vivo e com exclusividade a competição em 13 canais simultâneos de vídeo. Além disso, os usuários têm a possibilidade de assistir novamente a todo o conteúdo a qualquer momento. Todo o acesso é gratuito. Na área Fanzone, o usuário pode ser o comentarista, gravar vídeos com sua câmera e compartilhá-los com a audiência do Terra. Envie vídeos, fotos e textos para os atletas e as equipes. Clique e participe.

Siga os Jogos no celular
wap: wap.terra.com.br
Iphone, blackberry e N95: www.terra.com.br/jogosolimpicos

Ficha Técnica

Argentina 3 x 0 Brasil

Equipes

Romero
Garay
Monzon
Zabaleta
Pareja
Gago
Mascherano
Di Maria
Richelme
(Sosa)
Messi
Agüero

Renan
Rafinha,
Alex Silva
Breno
Marcelo
Lucas
Hernanes
(Thiago Neves)
Anderson
Diego
(Jô)
Ronaldinho
Rafael Sóbis
(Alexandre Pato)


Técnico:
Sérgio Batista

Técnico:
Dunga

Gols

1ºT ------------- -------------
2ºT 6min - Agüero
12min - Agüero
30min - Riquelme
-------------

Cartões amarelos

Zabaleta
Pareja
Garay

Breno
Hernanes
Ânderson

Cartões vermelhos

-------------

Lucas
Thiago Neves

Local

Estádio dos Trabalhadores, em Pequim (China)

Árbitro:

Martin Vazques (URU)


Redação Terra