Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Domingo, 24 de agosto de 2008, 07h09 Atualizada às 07h52

Para Nuzman, campanha em Pequim foi a melhor da história

  • Notícias

Celso Paiva
Liana Pithan
Direto de Pequim

Após fazer um balanço geral do desempenho brasileiro na Olimpíada de Pequim, neste domingo, na Casa Brasil, na capital chinesa, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, declarou que esta foi a "melhor participação do País na história dos Jogos".

O Brasil conquistou três medalhas de ouro (natação, salto em distância e vôlei feminino), quatro de prata (vôlei de quadra e praia masculino, vela e futebol feminino) e oito de bronze (três no judô, taekwondo, natação, futebol masculino, vôlei de praia masculino e feminino) durante a competição.

"Conquistamos três ouros inéditos (natação, salto em distância e vôlei feminino), chegamos em 38 finais olímpicas, as mulheres, antes sempre apagadas, tiveram um desempenho fantástico, resumindo, esta foi a melhor participação do Brasil em Jogos Olímpicos", declarou Nuzman, que ainda fez comparações entre o desempenho do Brasil e de outros países.

"Os únicos países que melhoraram o desempenho em relação à Olimpíada de 2004 foram China e Grã-Bretanha, isso se considerarmos as medalhas de ouro. Potências como EUA e Austrália não tiveram o mesmo rendimento", afirmou o presidente.

Nuzman ainda foi questionado sobre os números de investimento gastos para a preparação da equipe brasileira aos Jogos de Pequim, sem saber com precisão o valor, o presidente do COB disse que girava em torno de R$ 168 milhões.

"No ciclo olímpico para Atenas foram gastos em torno de R$ 90 milhões, nós não temos de cabeça esses números. Já de 2005 até hoje, foram gastos R$ 168 milhões, mas é importante lembrar que a preparação do Pan teve um custo de estrutura grande, pois foram mais de mil integrantes na equipe em 47 modalidades", explicou o presidente do COB.

O presidente do COB ainda foi questionado sobre o apoio psicológico dado aos atletas e Nuzman disse ser um assunto complicado por se esbarrar na figura do treinador.

"É complexo, pois você esbarra no treinador que acha que é o psicólogo. Mas o psicólogo é um componente importante como o fisioterapeuta, nutricionista, preparador físico, entre outros", concluiu Nuzman.


Redação Terra