Pequim
 
Brasil
 

Pequim 2008

Domingo, 24 de agosto de 2008, 11h27 Atualizada às 12h25

Handebol: "grupo da morte" abrevia passagem da Seleção

Brasil tentou, mas não conseguiu avançar em Pequim
Brasil tentou, mas não conseguiu avançar em Pequim
Reuters

Direto de Pequim

"Jogamos como nunca e perdemos como sempre". Para a Seleção Brasileira feminina de handebol que disputou os Jogos Olímpicos de Pequim, o cruel ditado esportivo faz sentido. A equipe fez bonito diante de adversários poderosos como Hungria e Coréia do Sul, mas não conseguiu um desempenho suficiente para avançar dentro da competição.

O time brasileiro caiu em um grupo com rivais de alto nível. O primeiro jogo foi diante da Alemanha, terceira colocada na última edição do Mundial de handebol e cotada para ficar com o ouro olímpico. As meninas chegaram a protagonizar uma disputa equilibrada e saíram para o intervalo ganhando por 12 a 11, mas acabaram derrotadas por 24 a 22.

No jogo seguinte, o time brasileiro enfrentou mais um adversário de peso. Diante da Hungria, medalha de prata em Sydney 2000 e campeã européia em 2006, a Seleção quase conseguiu uma das principais vitórias de sua história. A equipe nacional vencia até o último segundo, quando sofreu o empate por 28 a 28 em um arremesso de longa distância.

Na seqüência de times poderosos do Grupo B dos Jogos Olímpicos de Pequim, o Brasil enfrentou a Rússia, tricampeã mundial da modalidade. Na única partida em que demonstrou certa fragilidade, a Seleção chegou a animar no início, mas acabou vencida pelas russas por 28 a 19.

Depois da série de derrotas, a redenção veio diante das sul-coreanas, atuais campeãs olímpicas. Após sofrer o empate no final do duelo contra a Hungria, a Seleção respondeu com a mesma moeda diante das asiáticas. No último segundo, Ana Rodrigues acertou um arremesso preciso e garantiu a vitória por 33 a 32.

Depois de empatar com a Hungria e bater a Coréia do Sul, o Brasil precisava apenas vencer a Suécia, então última colocada da chave, para se classificar à próxima fase. No entanto, a missão que parecia fácil se tornou complicada. Após perder por 25 a 22, a Seleção foi eliminada dos Jogos Olímpicos de Pequim.

Apesar do fracasso, o técnico Juan Oliver fez um balanço positivo da participação do Brasil nos Jogos. "Há três anos, ninguém pensava que estaríamos aqui, e hoje estamos jogando de igual para igual com um país que tem 100 anos de história de handebol. Esperamos ganhar da Suécia na próxima", afirmou o comandante logo após a eliminação.

Os Jogos Olímpicos no celular
wap:
wap.terra.com.br
Iphone, blackberry e N95: www.terra.com.br/jogosolimpicos


Redação Terra